Cérebro grande pode ser uma desvantagem, afirma pesquisa

Estudo calculou o tamanho do cérebro de 1.679 animais de 160 espécies e constatou que há uma correlação entre o tamanho do cérebro e o risco de extinção

por AFP - Agence France-Presse 17/02/2016 15:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Já se sabia que ter um cérebro grande não é, necessariamente, uma garantia de inteligência, e pode estar relacionado a uma maior probabilidade de extinção - de acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira (17/02) no periódico Proceedings B, da Royal Society britânica.

Ter um cérebro grande pode ser uma desvantagem, afirma o professor Eric Abelson, do Departamento de Biologia da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos. Esse pesquisador calculou o tamanho do cérebro de 1.679 animais de 160 espécies diferentes e comparou essas medidas com os dados da União Internacional para a Conservação da Natureza. Esta instituição avalia o risco de extinção de milhares de espécies e subespécie.

De acordo com Abelson, há uma correlação entre o quociente de encefalização (que mede o tamanho do cérebro em relação ao restante do corpo) e o risco de extinção. "Essa correlação é ainda maior nos animais pequenos", acrescenta.

De fato, manter um cérebro grande tem um custo metabólico significativo. Implica um consumo de energia mais importante sem que, ao que parece, isso implique maiores capacidades de adaptação.

Para Eric Abelson, os custos de um forte quociente de encefalização superam as vantagens nas espécies pequenas.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA