Homens são mais propensos que mulheres a contrair câncer por sexo oral

A hipótese é de que o sistema imunológico dos homens é mais frágil, o que os deixa com maior vulnerabilidade à infecção

por Redação 16/02/2016 10:02

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ISTOCKPHOTO
Homens têm o dobro de possibilidades que as mulheres de contrair câncer de garganta e de boca (foto: ISTOCKPHOTO)
Os homens têm o dobro de possibilidades que as mulheres de contrair câncer de garganta e de boca, ligados a uma infecção pelo vírus do papiloma humano (HPV) que pode ser provocada durante o sexo oral. Estudo publicado nos Estados Unidos mostra que quase dois em cada três casos de câncer da orofaringe são provocados - tanto nos EUA quanto na maior parte dos países ocidentais - pela infecção do HPV 16. Segundo o epidemiologista Gypsyamber D'Souza, que apresentou sua pesquisa na Conferência Anual sobre Avanços na Ciência (AAAS), a frequência desses tipos de cânceres aumentou nos últimos anos.

A prática do sexo oral (tanto no pênis quanto na vagina) faz com que este tipo de câncer afete muito mais os homens, sobretudo os brancos de idade média, do que as mulheres. A hipótese é de que o sistema imunológico dos homens é mais frágil, o que os deixa com maior vulnerabilidade à infecção. Com a mesma quantidade de relações sexuais, eles têm maior probabilidade de serem infectados pelo HPV. “Nosso estudo mostra ainda que, entre os homens, o risco de uma infecção por HPV aumenta com o número de parceiros com os quais mantiveram sexo oral”, complementou Gypsyambe D’Souza.

Nas mulheres, diferentemente, o número de parceiros recentes não aumenta a suscetibilidade ao câncer de garganta e de boca, indicam os resultados da pesquisa. O estudo também mostrou que as com mais relações sexuais têm menos risco de contrair HPV durante essas práticas. O resultado, deduz D’Souza, sugere que a primeira exposição vaginal ao vírus confere uma proteção maior por detonar uma forte resposta imune ao invasor.

O HPV não causa diretamente as mutações responsáveis pelo câncer, mas provoca mudanças nas células que infectam a boca, a garganta e o colo do útero, favorecendo o surgimento de tumores. A estimativa, de acordo com D’Souza, é de que quase dois em cada três casos de câncer de orofaringe são provocados na maior parte dos países ocidentais pela infecção do HPV16, um dos tipos do micro-organismo. Segundo o Instituto Nacional de Câncer, há mais de 150 cepas de HPV. A 16 está entre as mais oncogênicas.

O sexo oral aumentaria o risco do câncer orofaríngeo em cerca de 22%, segundo um estudo publicado em janeiro pelo jornal especializado Journal of the American Medical Association. Este tipo de câncer aumentou 225% em 20 anos.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA