Veja quais são os principais cuidados com a pele no carnaval e no verão

Médicos alertam para o maior risco de agravamento do melasma na estação

por Lilian Monteiro 04/02/2016 09:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Euler Junior/EM/D.A Press
A hidratação é essencial para manter a pele saudável (foto: Euler Junior/EM/D.A Press)
O principal alerta no verão é sobre o uso do protetor solar. Indispensável e que tem de ser contínuo. Mas muitos só pensam no filtro e esquecem ou abandonam outros cuidados essenciais para a pele, principalmente por ficar mais exposta na estação mais quente do ano. Por isso, vale o alerta da biomédica, esteticista e professora Eidi France: “O fotoprotetor mais hidratante e a esfoliação são procedimentos extremamente importantes no verão. O filtro é fundamental, ainda mais porque as pessoas querem se bronzear e há números alarmantes que mostram que muitas abrem mão dele. A hidratação é essencial para manter a pele saudável, com saúde. Ao se expor ao Sol, ela perde líquido, desidrata. É preciso repor o líquido, já que todos estão sujeitos à desidratação constante por causa do calor excessivo”. Ela explica que, bem hidratada, a pele não perde o viço nem a luminosidade. “Por isso, o hidrante também tem de ser usado constantemente. O ideal é pelo menos duas vezes ao dia.”

O médico Everson Rezeck, especialista em medicina estética há 25 anos, reforça que, no verão, é o momento de intensificar o uso de filtro solar, que deve ser aplicado diariamente e não somente nos momentos de lazer. “Os produtos com Fator de Proteção Solar (FPS) 15 ou 20 podem ser usados no dia a dia; e o FPS 30 ou superior é ideal para uma exposição mais longa ao Sol (praia, piscina, pesca etc.). O produto deve proteger contra os raios UVA (indicado pelo PPD) e contra os raios UVB (indicado pelo FPS). Aplique o produto 30 minutos antes da exposição solar para que a pele o absorva. Reaplique-o a cada hora, mas fique atento, já que o tempo diminui se houver transpiração excessiva ou se você entrar na água. Aplique o protetor uniformemente em todas as partes de corpo, isso inclui mãos, orelhas, nuca e pés.”

Uma dica bacana de Everson, que depara com todo tipo de dúvida de suas pacientes na Clínica Médica Everson Rezeck, é o uso de fluidos siliconados nas pontas dos cabelos, para impedir que eles se danifiquem com o vento, calor ou maresia. “E não se esqueça de proteger as cicatrizes. Quando novas, podem ficar escuras se não forem protegidas. Se antigas, podem desenvolver tumores na pele, apesar de ser um evento raro. Pode ser colocando o filtro na própria cicatriz ou protegendo-as com adesivos ou esparadrapos.”

Lelis / EM / D.a Press
No calor, as pessoas tomam mais banho. Por isso, é recomendado que a temperatura da água seja de morna para fria, porque a água quente desidrata, resseca e envelhece o tecido. (foto: Lelis / EM / D.a Press)
Everson lembra que, nas crianças, inicia-se o uso do filtro solar a partir dos 6 meses de idade, utilizando um produto adequado para a pele sensível da criança, de preferência os filtros físicos. “Você pode pedir orientação a um pediatra ou a um dermatologista sobre qual o melhor tipo para cada caso. É preciso que as crianças e jovens criem o hábito de usar o protetor solar diariamente, já que 75% da radiação acumulada durante toda a vida ocorre na faixa entre 0 e 20 anos.”

DOENÇAS
O médico enfatiza que as temperaturas mais quentes exigem hidratação redobrada, por dentro e por fora. “Aumente a ingestão de líquidos no verão e abuse da água, suco de frutas e da água de coco. Todos os dias, aplique um bom hidratante, que ajude a manter a quantidade de água na pele. A combinação Sol, praia, mar ou piscina mais o excesso de suor elevam o risco de algumas doenças da pele: micoses, brotoejas, manchas e sardas brancas e acne solar.”

Responsável técnica da Adcos BH, Eidi France exalta o valor da esfoliação, que vai preparar a pele para o bronzeado. E avisa que ela tem de ser feita com dois dias de antecedência da exposição ao Sol. “Ao esfoliar, você tira as células mortas e traz rejuvenescimento para a pele do corpo e face. Há produtos específicos, que podem ser usados em casa, o chamado homecare, que precisam ser mais suaves e menos abrasivos. A intenção é renovar o tecido e não agredir a pele.”

Eidi lembra que, no calor, apesar da crise hídrica, fatalmente as pessoas tomam mais banho. Por isso, ela recomenda que a temperatura da água seja de morna para fria, porque “a água quente desidrata, resseca e envelhece o tecido. E banho com sabonete somente uma vez ao dia, já que ele retira a proteção natural da pele. Uma vez é suficiente para se livrar das impurezas, para limpar a pele. No segundo banho, só água corrente é o ideal”. Ela também enfatiza os cuidados com as partes do corpo que costumam ressecar, como cotovelos, joelhos, calcanhares e pés. “Durante o banho, vale usar um óleo corporal, já que ele forma uma película protetora sobre a superfície da pele, prevenindo a desidratação e deixando-a pronta para receber o hidratante.”

Arquivo Pessoal
Para a biomédica Eidi France, além do protetor solar, o ideal é usar hidratante duas vezes ao dia (foto: Arquivo Pessoal)
A biomédica lembra da importância de usar produtos para cada tipo de pele. Não há do que reclamar da variedade do mercado de dermacosméticos, uma infinidade de opções com grande avanço tecnológico na área. “Na dúvida, procure orientação de um profissional. De forma geral, invista em produtos de toque mais suave, textura leve e com ativos como ácido hialurônico, vitamina E, aloe vera, ureia, silicone, extratos de camomila e calêndula, entre outros, que são produtos específicos para manter a hidratação da pele.”

Fala-se muito de produtos pós-sol, mas Eidi enfatiza que as loções calmantes só serão necessárias caso as pessoas se exponham de maneira inadequada e incorreta ao Sol. Lembre-se que o recomendável é das 7h às 10h, e depois das 16h, quando o risco de ardência na pele é menor. A biomédica chama a atenção e esclarece uma dúvida que muitos ainda carregam: “A radiação UVB está presente nos horários inapropriados para se bronzear, já que causam ardência e queimadura. Já a radiação UVA está presente o tempo todo e aí está o grande perigo, já que ela provoca o câncer de pele. Ela atua o tempo todo, forte e presente. Por isso, a obrigatoriedade de usar protetor solar sempre. A UVA também provoca o envelhecimento”. Outro alerta de Eidi é a preocupação e atenção que todos devem ter na hora de escolher o fotoprotetor: “O filtro solar precisa ter a classificação SPS, que protege da radiação UVB, e o PPD, que protege da UVA. É superimportante estar atento na hora da compra”.

De olho nas manchas
O dermatologista Bruno Vargas alerta que, no verão, os riscos de agravamento do melasma são maiores. Ele explica que “o melasma é caracterizado por manchas amarronzadas, que aparecem, grande parte das vezes, no rosto, podendo também ocorrer no colo, braços e até nas costas. São escuras, irregulares e incomodam muito, por motivos estéticos. Durante o verão, as manchas costumam piorar, devido ao aumento da temperatura e da maior incidência da radiação solar (principal fator para o agravamento do melasma). Por isso, o cuidado deve ser redobrado”.

Bruno explica que, além da exposição solar excessiva sem uso de protetores solares eficazes, também causam o melasma o uso de anticoncepcionais, pré-disposição genética, gravidez, entre outras: “Apesar de ainda não ter cura, o melasma poder ser perfeitamente controlado por meio de tratamentos adequados e acompanhamento médico. Em casos específicos, o laser Nd YAG1064 Q-Swiched pode ser uma boa opção para melhorar as manchas. Agora, lasers fracionados e luz pulsada são contraindicados, já que agridem o melanócito e podem agravar o quadro da doença”.

Em alguns casos, é possível se prevenir do melasma evitando a exposição solar, mas é difícil. A melhor alternativa para fazer com que as manchas não apareçam é usar protetor solar regularmente. “Se é impossível não se expor aos raios ultravioletas, é recomendado, além de bloqueadores solares, o uso de chapéus, bonés, óculos escuros e outras proteções físicas”, recomenda o dermatologista. Bruno explica que uma novidade é o uso de filtros físicos na formulação dos protetores solares. “O filtro físico contém cor e funciona como uma barreira física contra o espectro de luz visível, presente nas fontes de luz artificial, como as lâmpadas e também na luz solar (a base utilizada nos protetores, além de funcionar como uma camuflagem para as manchas, também protege).”

Arquivo Pessoal
Everson Rezeck, especialista em medicina estética há 25 anos, alerta que, para manter a pele saudável nesta época, é preciso aumentar a ingestão de líquidos (foto: Arquivo Pessoal)

Patch do Sol
A marca francesa La Roche-Posay, que pertence à Divisão Cosmética Ativa da L’Oreal, lançou, na Consumer Eletronics Show, em Las Vegas (EUA), o dispositivo My UV Patch, adesivo para pele que mede e monitora a exposição aos raios ultravioletas, com o intuito de educar a população sobre a proteção solar. O patch, maleável e individual, chega ao Brasil em agosto. O adesivo tecnológico surge num momento crucial para a população: a exposição solar é a principal causa do câncer de pele. A marca percebeu a necessidade de ferramentas para conscientizar o consumidor sobre os danos causados pelos raios solares. OMy UV Patch é uma espécie de adesivo transparente maleável, que adere diretamente a qualquer área do corpo. Ele contém corantes fotoativos que levam em consideração o tom de pele e mudam de cor quando a pessoa fica exposta a raios UV para indicar diferentes níveis de exposição ao Sol. Os usuários poderão tirar uma foto do patch e fazer o upload no aplicativo My UV Patch, que analisa as diferentes nuances de corantes fotoativos para determinar a quantidade de exposição à radiação UV que o usuário recebeu. O My UV Patch estará disponível no iOS e Android.

Confira dicas simples do dermatologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo Leonardo Abrucio Neto, para ter um verão saudável e divertido:

1) Proteja sua pele: o uso de protetores solares, além de evitar queimaduras, protege contra diversos tipos de câncer de pele. A doença teve aumento de 55% no número de mortes nos últimos 10 anos, segundo o Instituto Nacional do Câncer. Para pele oleosa, pode-se usar o protetor solar em gel, gel-creme ou loção livre de óleo. O filtro solar em spray é bom para o couro cabeludo e áreas com bastante pelos. Para pernas e em pessoas com pele mais áspera, como idosos, podem ser usados em loção cremosa ou cremes. Não esqueça de aplicar o protetor nas orelhas, pés, mãos e lábios. A Sociedade Brasileira de Dermatologia não recomenda o uso de protetores em crianças menores de seis meses, que devem ser substituídos por barreiras físicas como bonés, chapéus, óculos escuros e, se possível, roupas compridas. Já existem roupas com filtros solares. Para crianças com idade acima de 6 meses é recomendado o uso de protetores infantis com menor concentração dos agentes ativos e produtos mais hipoalergênicos.

2) Cuidado com as lesões causadas pelo Sol: quando já ocorreram as queimaduras solares, use compressas frias com soro fisiológico ou chá de camomila. E evite novas exposições solares até a melhora. Fique atento, em caso de existência de bolhas ou secreção, procure ajuda para prescrição médica adequada.

3) Atenção com o manuseio de frutas cítricas: elas apresentam substância chamada de psoralênicos, que favorecem a absorção da radiação ultravioleta, gerando assim a queimadura de pele, chamadas de fitofotodermatoses. Essas queimaduras podem ocorrer até dois ou três dias após a exposição solar. Por isso, evite manusear limão, maracujá e tangerina antes ou durante a exposição solar e lave bem as mãos quando usá-los.

4) Fuja das micoses: comuns nesta época do ano devido ao calor e à constante umidade, criando um ambiente propício ao seu desenvolvimento. Prefira roupas leves, claras e de algodão, evite compartilhar roupas e calçados e os troque diariamente, não fique muito tempo com roupas de banho molhadas, evite banhos muito quentes, enxugue bem a pele após o banho e adote uma alimentação saudável, com frutas, verduras, legumes e proteínas.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA