Governo brasileiro diz que grávidas devem evitar vir às Olimpíadas do Rio

Jogos Olímpicos serão realizados no Rio de Janeiro, de 5 a 21 de agosto

por AFP - Agence France-Presse 02/02/2016 10:16

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Mulheres grávidas não devem vir às Olimpíadas do Rio em agosto deste ano para evitar os riscos com o zika - recomendou nesta segunda-feira (01/02) o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, em meio ao surto de microcefalia que pode estar relacionado ao vírus.

"O risco, vou dizer grave [de viajar para o Brasil] é para as mulheres grávidas. Aí não é recomendável, evidentemente, porque você não vai se arriscar (...) Eu entendo que ninguém vai ter medo, a não ser que esteja grávida", disse Wagner depois que a OMS declarou emergência sanitária mundial pelo zika.

Embora os sintomas do vírus transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti costumem ser de escassa gravidade, surgiram indícios que o vinculam ao número excepcionalmente elevado de casos de bebês que nascem com microcefalia.

Wagner disse que a presidente Dilma Rousseff recebeu como "positiva" a decisão da OMS porque "é outro órgão de responsabilidade que alerta a todo o mundo, inclusive o mundo científico, do perigo do novo vírus".

Mas indicou que é necessária uma campanha para esclarecer "que o dano a alguém picado por um mosquito com o vírus pode ser mais dramático quando se trata de uma mulher grávida".

"Se é um adulto, um homem ou uma mulher não grávida, o anticorpo se desenvolve em cinco dias e passa", disse o ministro.

O zika também pode estar associado à síndrome neurológica de Guillain-Barré (GBS), uma condição rara que causa paralisia.

Os Jogos Olímpicos serão realizados no Rio de Janeiro, de 5 a 21 de agosto, durante o inverno do hemisfério sul, quando geralmente há uma menor incidência de doenças como a dengue, que é transmitida pelo mesmo mosquito do zika.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA