#MeuNúmeroÉ180: campanha quer carnaval sem violência contra as mulheres

Objetivo é alertar as mulheres sobre o direito de viver sem violência e como denunciar. Aos homens, a campanha manda a mensagem de que devem ser solidários às mulheres, colaborar para evitar a violência e apoiar as vítimas nos casos de agressões

por Agência Estado 02/02/2016 10:29

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução Youtube
Agressões físicas e verbais contra as mulheres ainda são uma realidade no carnaval (foto: Reprodução Youtube)
Os 100 anos do samba e o alerta para a prevenção da violência contra as mulheres dão o tom da campanha #MeuNúmeroÉ180, inspirada pelo clássico Pelo Telefone, de Donga. Realizada com o apoio da ONU Mulheres e da campanha do Secretário-Geral da ONU "UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres", a iniciativa visa incentivar a busca por serviços públicos especializados de atenção às vítimas por meio da Central de Atendimento à Mulher- Ligue 180, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do Ministério de Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.



"O carnaval é a maior festa popular do Brasil. Os dias de diversão e folia devem ser bem vividos por todas as pessoas. A campanha alerta as mulheres sobre o direito de viver sem violência e o que devem fazer nos casos de violência, acionando o Ligue 180, serviço gratuito e disponível 24 horas por dia, inclusive finais de semana e feriados, para saber como fazer a denúncia, localizar os serviços de polícia, justiça e saúde mais próximos.

Aos homens, a campanha manda a mensagem de que devem ser solidários às mulheres, colaborar para evitar a violência e apoiar as mulheres nos casos de agressões. Para a sociedade como um todo, essa campanha defende que a violência contra as mulheres é inaceitável e que todas e todos devem desenvolver cultura e atitudes voltadas à igualdade de gênero", afirma Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil.

#MeuNúmeroÉ180

Criada por mulheres e para mulheres, a campanha foi desenvolvida pelas agências The Aubergine Panda e Lynx - sem fins lucrativos -, e inspirada nos inúmeros depoimentos e manifestações que tomaram conta das redes sociais em 2015, com histórias de assédio e violência.

E, como o carnaval é um período de diversão, mas também de agressões físicas e verbais contra as mulheres, as agências resolveram conscientizar a população, usando como gancho a comemoração dos cem anos do samba.

Para isso, foi criada uma paródia baseada no primeiro samba gravado no Brasil, Pelo telefone (Donga): "O chefe da folia pelo telefone manda me avisar que com violência não dá para brincar", que foi somada à assinatura: "Se a abordagem é agressiva, #MeuNúmeroÉ180." "Depois dos diversos episódios e eventos que marcaram 2015, pensamos em uma forma de tirar as ideias do papel e dar voz às mulheres. Percebemos que em um século muita coisa evoluiu, mas quando o tema é assédio, foliões parecem ter parado no tempo. Relacionamos a expressão "meu número" ao número que deve ser discado em caso de violência, e aproveitamos o próprio samba para passar a mensagem", explica a diretora-geral da The Aubergine Panda, Letícia Galvão Bueno

Toda a divulgação foi feita por meio de um trabalho de relações públicas, desde o mapeamento de personalidades vinculadas ao samba e celebridades até o relacionamento com influenciadores digitais. Foram enviados kits com camisetas para celebridades, clientes e funcionárias das agências, com a sugestão de compartilhamento de fotos com a hashtag #MeuNúmeroÉ180 nas redes sociais.

Você pode participar
As pessoas e empresas que quiserem aderir à campanha também podem participar. Basta entrar no site www.meunumeroe180.com br, baixar os posts disponíveis e compartilhar em suas redes sociais com a hashtag #MeuNúmeroÉ180.

Sobre o Ligue 180
A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência - Ligue 180 ? é um serviço de utilidade pública gratuito e confidencial (preserva o anonimato), oferecido pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, do Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, desde 2005.

O Ligue 180 funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive finais de semana e feriados, e pode ser acionada de qualquer lugar do Brasil e de mais 16 países (Argentina, Bélgica, Espanha, EUA (São Francisco), França, Guiana Francesa, Holanda, Inglaterra, Itália, Luxemburgo, Noruega, Paraguai, Portugal, Suíça, Uruguai e Venezuela). Desde março de 2014, o Ligue 180 atua como disque-denúncia, com capacidade de envio de denúncias para a segurança pública com cópia para o Ministério Público de cada estado. O Ligue 180 é a porta principal de acesso aos serviços que integram a Rede nacional de enfrentamento à violência contra a mulher, sob amparo da Lei Maria da Penha.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA