Especialistas norte-americanos pedem atenção com saúde mental das mães

As doenças mentais relacionadas à maternidade são mais frequentes do que se estima até agora e a falta de tratamento também pode prejudicar gravemente os filhos dessas mulheres

por AFP - Agence France-Presse 27/01/2016 10:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
SXC.hu
A depressão é uma das principais causas de incapacidade em pessoas acima de 15 anos (foto: SXC.hu)
Um influente painel independente de especialistas americanos propõe que todos os adultos do país sejam submetidos a um controle para depressão, incluindo mulheres durante e depois da gravidez. É a primeira vez que este painel chama a atenção para a saúde mental das mães.

A proposta foi apresentada no periódico Journal of the American Medical Association, pela Força-Tarefa Americana de Serviços Preventivos (USPSTF, na sigla em inglês) e deve estimular os médicos a detectar sintomas de depressão em seus pacientes.

"O USPSTF encontrou evidência científica convincente que demonstra que o controle de rotina em estabelecimentos de cuidados primários melhora a detecção cabal de pacientes adultos com depressão, incluindo mulheres na gravidez, ou no pós-parto", afirma o texto.

Segundo estudos recentes, as doenças mentais relacionadas à maternidade são mais frequentes do que se havia estimado até agora e a falta de tratamento também pode prejudicar gravemente os filhos dessas mulheres.

Os especialistas constataram ainda que foram comprovadas as vantagens de se combinar controles de detecção na população com "sistemas de apoio adequados". Isso pode contribuir para reduzir, ou eliminar, a depressão.

Essas recomendações atualizam aquelas divulgadas em 2009 e que não mencionavam a depressão em mulheres em idade fértil. O texto já propunha, porém, controles preventivos por depressão, nos casos em que o sistema de atenção permitir. "A depressão é uma das principais causas de incapacidade em pessoas acima de 15 anos", destaca o informe dos especialistas.

A depressão "também é comum entre mulheres no pós-parto, ou grávidas", acrescenta.

O informe diz haver "evidência convincente" de que o tratamento com antidepressivos, psicoterapia, ou uma combinação dos dois, pode melhorar a saúde de pacientes que têm depressão.

Os pesquisadores destacam, porém, "alguns danos" associados ao uso de antidepressivos conhecidos como inibidores seletivos da recaptação de serotonina. Esse tipo de medicamento pode aumentar o risco de suicídio e também está associado a "danos fetais potencialmente sérios".

VÍDEOS RECOMENDADOS