Morre quarto transplantado com coração artificial Carmat

Prótese não estaria relacionada à morte do paciente de 58 anos

por AFP - Agence France-Presse 21/01/2016 14:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
O quarto paciente que recebeu um coração artificial da empresa francesa Carmat faleceu por complicações médicas, ligadas ao seu estado crítico antes e depois da operação, mas a prótese não está relacionada a sua morte, anunciou a Carmat na madrugada desta quinta-feira (21/01).

"Realizamos um transplante em um paciente em fase terminal de insuficiência cardíaca. O transplante transcorreu convenientemente e a prótese foi satisfatória ao longo de seu funcionamento. O paciente faleceu por complicações médicas não relacionadas com a prótese", indicou o professor Pascal Leprince, chefe do serviço do Instituto de Cardiologia do hospital da Pitié-Salpétrière de Paris, em um comunicado da empresa.

O paciente, de 58 anos, que sofre de insuficiência biventricular severa, foi operado no dia 22 de dezembro pela equipe do Hospital Universitário de La Pitié Salpêtrière. A data da morte não foi divulgada.

O primeiro paciente transplantado em dezembro de 2013 com o coração da Carmat morreu 74 dias depois da operação realizada em Paris, aos 76 anos; o segundo, de 69 anos, faleceu em maio nove meses após a intervenção. Estas duas primeiras mortes foram provocadas por uma falha técnica da prótese.

O terceiro paciente que recebeu um coração artificial Carmat morreu de forma súbita em 18 de dezembro, sem que a prótese estivesse envolvida no falecimento, segundo o fabricante francês.

O homem, de 74 anos, havia voltado para sua casa perto de Estrasburgo (leste da França) no fim de agosto, depois de receber o transplante no dia 8 de abril na capital alsaciana, no âmbito de um estudo de viabilidade do dispositivo.

O coração Carmat leva um revestimento interno de biomateriais extraídos de tecidos de bovinos para evitar a formação de coágulos.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA