Vacina do Instituto Butantã contra dengue fica para 2018

Tempo que a Anvisa levou para aprovar o início da fase 3 dos testes em humanos é um dos motivos para atraso

por Agência Estado 16/01/2016 09:43

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcos Santos / USP Imagens
(foto: Marcos Santos / USP Imagens)

Brasília, 16 - A vacina contra a dengue produzida pelo Instituto Butantã deverá estar disponível para uso somente em 2018, e não mais em 2017, conforme informaram ontem o Ministério da Saúde e o Butantã. Uma das razões para o atraso é o tempo que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) levou para aprovar o início da fase 3 dos testes em humanos.

O instituto entrou com o pedido de autorização em regime de prioridade em abril do ano passado e esperava ter a licença já em agosto do mesmo ano. Por isso, fez a previsão de ter o imunizante pronto já em 2017.

A autorização da Anvisa para a fase 3, no entanto, só foi dada em dezembro, quando o Butantã começou a recrutar os voluntários para o estudo. De acordo com Jorge Kalil, diretor do Instituto Butantã, um dos problemas da demora na aprovação foi o vencimento de algumas doses da vacina que já estavam prontas para o teste.

"A gente foi rever algumas das ampolas que são utilizadas. Tendo em vista o tempo que ficou em toda essa fase de aprovação, algumas ampolas que estavam prontas para colocar em teste venceram o prazo e estamos fabricando novas para que tenhamos todas as chances do nosso lado e o estudo não falhe por nenhuma razão técnica", disse ele.

Nas fases anteriores do estudo, a vacina do Butantã mostrou mais de 90% de eficácia contra os quatro tipos de vírus da dengue com apenas uma dose.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA