Aparelho permite exame oftalmológico sem a necessidade de dilatar a pupila

O 'Optomap' faz um rastreamento da retina de maneira não invasiva

por Gláucia Chaves 16/01/2016 10:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
http://www.torranceoptometry.com / Reprodução Internet
Imagens em alta resolução ajudam os profissionais a analisarem com detalhamento o fundo do olho (foto: http://www.torranceoptometry.com / Reprodução Internet )
Dilatar a pupila não é nada agradável: a visão turva, os olhos ficam levemente irritados, além de aparecerem os sintomas de fotofobia. Atualmente, no entanto, há opções de exames que não exigem que o paciente passe pelo mesmo desconforto. O aparelho Optomap é um exemplo. Alípio de Sousa Neto, oftamologista do Hospital Santa Luzia, explica que a máquina faz um rastreamento da retina de maneira não invasiva. “O aparelho faz a avaliação da retina com 220º, enquanto os aparelhos comuns têm uma média de 30º a 40º de visualização”, detalha.

O objetivo é tornar o diagnóstico de doenças retinianas, como as causadas por diabetes, degenerações maculares e glaucoma, mais preciso.

As imagens, em altíssima resolução, ajudam os profissionais a analisarem com detalhamento o fundo do olho. “Há uma série de situações em que o paciente está sem sintomas, mas apresenta vários problemas na retina”, alerta Alípio Neto. Com o exame, é possível identificar tumores; rasgos, que podem levar ao descolamento da retina; alterações nos vasos sanguíneos do olho; além de avaliar o nervo ótico. “Com os outros equipamentos, o médico também vê essas alterações, mas as luzes são muito fortes para o paciente”, compara.

Outra vantagem é a praticidade: em cerca de três minutos, analisa-se a retina em sua totalidade. Antes, para se obterem as mesmas informações, o médico precisaria de, no mínimo, dois outros exames: a retinografia e o mapeamento de retina. Os resultados, porém, não seriam revelados tão rapidamente. “Com o aparelho, a gente consegue ver a lesão e mostrá-la ao paciente.”

Valdo Virgo / CB / D.A Press
Clique na imagem para ampliá-la e saiba mais (foto: Valdo Virgo / CB / D.A Press)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA