Ministro da Saúde diz que aumento de casos de microcefalia é "a maior calamidade" que o país viveu nos últimos tempos

Já são 1.248 casos suspeitos, identificados em 311 municípios de 14 unidades da federação e foram notificados sete óbitos

por Agência Brasil 02/12/2015 09:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
O ministro da Saúde, Marcelo Castro, disse nesta terça-feria (01/12) que a situação vivida pelo país com relação ao aumento de casos de microcefalia é a “maior calamidade” que o país viveu nos últimos tempos. “Um drama de dimensões extraordinárias o que está acontecendo. O poder público e a sociedade têm que dar a resposta na mesma altura do drama”, disse o ministro em entrevista a jornalistas logo depois de declarar aberta a 15ª Conferência Nacional de Saúde (CNS).

Castro esteve nesta segunda-feira em Pernambuco, estado com maior número de diagnósticos de microcefalia, para debater o Plano Estadual de Enfrentamento das Doenças Transmitidas pelo Aedes aegypti, mosquito causador da dengue, da febre chikungunya e do vírus Zika, que quando infecta gestantes pode provocar microcefalia no feto.

No Brasil, são 1.248 casos suspeitos, identificados em 311 municípios de 14 unidades da federação. Entre o total de casos, foram notificados sete óbitos. Os dados são do Boletim Epidemiológico de Microcefalia, atualizado nesta segunda-feira (31/11) pelo Ministério da Saúde.

A 15ª CNS vai reunir até sexta-feira (4/12) representantes de todos os estados para a formulação de diretrizes para o Plano Nacional de Saúde.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA