Diagnóstico tardio é principal razão de problemas mais graves com a visão

Cuidados com os olhos devem fazer parte da rotina de exames para prevenir qualquer alteração e evitar diagnóstico tardio

por Gustavo Perucci 30/11/2015 17:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

INSTITUTO VIZIBELLI/DIVULGAÇÃO
Henrique Vizibelli faz procedimento cirúrgico com o aparelho de laser Femtosecond Catalys, adquirido recentemente pelo instituto (foto: INSTITUTO VIZIBELLI/DIVULGAÇÃO)
Um dos sentidos mais importantes para o ser humano é a visão. Mas, por incrível que pareça, os cuidados com os olhos, normalmente, são deixados em segundo plano pela população brasileira. Claro que o comum, ao se notar alguma alteração, é procurar o oftalmologista. Mas, em termos de prevenção, não está entre as prioridades das pessoas. E essa cultura pode levar a diagnósticos tardios, que chegam a estágio irreversível.

Esse é o alerta do presidente da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria (Soblec), Cleber Godinho. Seguindo o conceito moderno da medicina voltada para a prevenção, o médico afirma que é preciso trabalhar a educação na população para mudar a cultura do brasileiro de só procurar o especialista quando o problema já evoluiu. “É muito importante que as pessoas entendam que o cuidado feito de uma maneira periódica e constante facilita o diagnóstico precoce. Antes que o quadro se agrave e o oftalmologista não tenha mais recursos para ajudar o paciente”, completa.

Um dos exemplos de doença perigosa, que evolui sem apresentar grandes sintomas, é o glaucoma. Mesmo reversível, em estágio mais avançado pode não ter mais volta. “O aumento da pressão ocular é muito sério, e leva à morte das células nervosas. Nesse caso, a prevenção é extremamente importante”, afirma Godinho.

Diretor do Instituto Vizibelli, Henrique Vizibelli Chaves afirma que, além do alto índice de baixa acuidade visual da população brasileira, os problemas mais comuns no país são a catarata, o glaucoma e a retinopatia diabética. O oftalmologista bate na mesma tecla de Godinho, e alerta para a falta de informação sobre os cuidados com a visão.

“Todas as causas acima relatadas podem ser prevenidas e/ou tratadas por meio da consulta oftalmológica preventiva, que deve ser realizada anualmente. Infelizmente, a maioria da população não tem acesso e, ainda, falta informação quanto à importância de se realizar o exame anual. Consequentemente, corre-se um enorme risco de perda da visão, que, em alguns casos, é irreversível”, aponta.

Bater na tecla da prevenção é importante, pois a oftalmologia é uma das áreas da medicina mais beneficiadas pelos avanços tecnológicos, tanto em tratamentos quanto em equipamento. Godinho explica que é da vocação da especialidade buscar novos recursos, inovando sempre. “Além do celeiro de bons oftalmologistas que é Minas Gerais, essas novidades criam facilidades para resolver os mais diversos problemas de visão. E Belo Horizonte está sempre à frente no que diz respeito a recursos de tratamento”, comenta.

Uma das novidades apontadas pelo presidente da Soblec é a adaptação da lente escleral para a correção do ceratocone, doença não inflamatória e progressiva do olho que afeta o formato e a espessura da córnea. Essa condição afeta a visão, distorcendo e embaçando as imagens. O oftalmologista diz que as lentes são capazes de corrigir até quadros mais avançados, quando ainda não há a necessidade de transplante.

PIONEIRISMO Uma das novidades em Belo Horizonte para o tratamento cirúrgico da catarata é o laser Femtosecond Catalys, adquirido recentemente pelo Instituto Vizibelli. É o único equipamento com o tipo de tecnologia em Minas Gerais. “Por meio dele, a cirurgia se torna mais segura, precisa e com recuperação muito mais rápida em relação à técnica convencional. Já estamos com quase uma centena de olhos operados sem nenhuma complicação. Pacientes que se submeteram à técnica convencional em um olho e pela técnica a laser no outro preferem o resultado visual do olho operado pelo segundo, principalmente quando implantada a lente intraocular multifocal”, relata Henrique Vizibelli, que reforça o compromisso do instituto em sempre buscar novos recursos em tudo o que há de mais moderno na oftalmologia clínica e cirúrgica.


Avanços a passos largos


“A área médica em geral e a oftalmologia em particular são extremamente dinâmicas em termos de inovação tecnológica. Desde sua fundação, em 1972, a Mediphacos sempre se destacou pelo pioneirismo tecnológico de seus produtos nas áreas de lentes de contato, lentes intraoculares para cirurgia da catarata, implantes intracorneanos para ceratocone, entre outros. A oftalmologia brasileira se destaca entre as melhores do mundo e a maioria dos desenvolvimentos da Mediphacos é feito em colaboração com médicos e cientistas brasileiros com financiamento próprio ou com recursos governamentais. Outros projetos são desenvolvidos com participação de profissionais, instituições de pesquisa e universidades estrangeiras, mas sempre visando a produção no Brasil. Atualmente, a área que tem recebido maiores investimentos é a de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação. Na área da cirurgia da catarata, num futuro próximo, haverá uma nova geração de lentes intraoculares fabricadas a partir de biomateriais mais seguros e com desenhos ópticos mais avançados, segundo a necessidade de cada paciente. Igualmente, as lentes de contato serão mais personalizadas, trazendo mais segurança, conforto e qualidade de visão. Novos implantes intracorneanos para ceratocone prometem melhorar os resultados e reduzir consideravelmente a necessidade de transplantes de córneas. Novos equipamentos de diagnóstico e de cirurgia permitirão a detecção mais precoce de doenças oculares e cirurgias menos invasivas, mais seguras e eficazes.”

GUSTAVO COURI, diretor comercial da Mediphacos

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA