#meuamigosecreto: Mulheres 'invadem' redes sociais com posts que denunciam violência e desigualdade de gênero

No dia em que foi divulgado relatório internacional que mostra que o salário médio de uma brasileira com educação superior representa apenas 62% que de um homem com a mesma escolaridade, redes sociais são novamente palco para feministas mostrarem a desigualdade entre os gêneros

por Valéria Mendes 25/11/2015 10:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução Internet
Para participar da campanha, basta escrever um texto no Facebook ou Twitter e usar a hashtag #meuamigosecreto (foto: Reprodução Internet)
A invasão das redes sociais por feministas começou quando Valentina, integrante do Masterchef Brasil Júnior, foi alvo de comentários pedófilos nas redes sociais por homens de diversas idades. O fato gerou a campanha #meuprimeiroassedio, idealizada pelo Think Olga, e reuniu milhares de posts em que as mulheres denunciavam que o assédio a seus corpos começou quando muitas delas ainda nem tinham entrado na puberdade. O impacto da campanha foi tão grande que ganhou as páginas da imprensa internacional.

Na sequência, veio a #primaveradasmulheres com muitas delas ocupando as ruas Brasil afora contra o Projeto de Lei 5069/13, de autoria do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, segue para votação em Plenário. A proposta dificulta o acesso ao ‘Aborto Seguro’ que garante às mulheres vítimas de estupro a interrupção da gravidez, já permitida por lei.

Junto com a reação nas ruas uma segunda campanha na internet #‎AgoraÉqueSãoElas, idealizada por Manoela Miklos, propôs que colunistas homens cedessem seu espaço na grande mídia ou em blogs de grande alcance, por uma semana, para as mulheres escreverem sobre as pautas importantes na luta por direitos iguais entre os gêneros. Entres os homens que aderiram estão, por exemplo, Gregório Duvivier, Marcelo Freixo, Jean Wyllys, Bruno Torturra, Antonio Prata e Juca Kfouri.

Paralelamente à mobilização feminina recente, duas notícias importantes foram divulgadas nesse período e que evidenciam a importância de lutar contra a cultura machista. Nesta terça-feira (23/11), relatório internacional intitulado Education at a Glance 2015 colocou o Brasil em primeiro lugar (em um ranking com 46 outros países) em diferença salarial entre homens e mulheres: o salário médio da brasileira com educação superior representa apenas 62% do de um homem com a mesma escolaridade.

Em 9 de novembro, o Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil mostrou que os homicídios de mulheres negras aumentaram 54% em dez anos no Brasil, passando de 1.864, em 2003, para 2.875, em 2013. No mesmo período, o número de homicídios de mulheres brancas caiu 9,8%, saindo de 1.747 em 2003 para 1.576 em 2013. O relatório evidencia que, mesmo entre as próprias mulheres, existe uma desigualdade de direitos sustentada na questão racial.

A mais recente campanha feminista na internet, intitulada #meuamigosecreto, quer evidenciar como o comportamento machista permeia o dia a dia das mulheres nos ambientes de trabalho, familiar e nos espaços públicos. Os temas dos posts vão desde ao pai que posa com os filhos nas redes sociais, mas não paga pensão; passa pelo silenciamento da voz da mulher no ambiente corporativo e alcança a violência doméstica e pedofilia.

E hoje, 25 de novembro, celebra-se o Dia Internacional da Eliminação da Violência contra Mulheres. A data foi oficializada em 1999 em Assembleia Geral da ONU. Veja alguns posts:

#MeuAmigoSecreto
espancou a ex-namorada quando ela disse estar grávida. Enquanto chutava violentamente a barriga dela, berrava que ela era uma vadia que não sabia fechar as pernas. Ele era um coitado seduzido. Hoje ele posta conteúdo pró-feminismo no Facebook.

#MeuAmigoSecreto ficaria duas noites desta semana com a filha. Mas a filha não tá legal e a mãe pediu pra mudar uma das noites, pra poder cuidar melhor dela. Mas o #meuamigosecreto disse que não, porque já marcou uma balada no dia. Porque afinal, a prioridade é a balada e não a filha, não é mesmo amiguinhos? Mas tudo bem, porque o #meuamigosecreto depois tira fotos bonitas da criança e posa de bom pai e uzamigo tudo pira e paga pau. Parabéns pro #meuamigosecreto e pros que batem palma pra essa tal paternidade ativa. Vocês estão de parabéns.

#MeuAmigoSecreto é contra cotas, "negros tem um cheiro mais forte" segundo ele, mas entrou com cotas na universidade mesmo sendo branco.

#MeuAmigoSecreto acha que as feministas deviam lutar para as mulheres servirem o Exército e irem pra guerra
Ele não sabe que
1) as feministas, em geral, são contra guerras e serviço militar obrigatório
2) as mulheres brasileiras que querem ainda são IMPEDIDAS de ingressar na Academia Militar das Agulhas Negras - a formação que dá acesso ao alto escalão do Exército.
3) o Brasil não está em guerra com país nenhum.

#MeuAmigoSecreto acha que as "novinhas" (meninas de 13, 12, 11 anos) estão cada vez mais safadas e que é um absurdo a lei não permitir que ele se relacione sexualmente com uma delas "com consentimento"

#MeuAmigoSecreto quer sempre fazer prevalecer sua vontade com mil formas de manipulação. quando as pessoas em volta, exaustas, reagem, são taxadas de descontroladas.

#MeuAmigoSecreto terminou com a namorada se recuperando em pós operatório de um aborto de alto risco depois dele e outrXS companheirxs terem passado semanas pressionando pra que ela fizesse um aborto.

#MeuAmigoSecreto até já pensou em ter um relacionamento mais sério com a mulher que ele gosta, mas como é que ele vai apresentar pra família uma moça divorciada e com filho? Não pega bem...

#MeuAmigoSecreto diz que não é machista, mas a piada com o amigo que olhou pra trans na balada ainda pode

#MeuAmigoSecreto milita pelo empoderamento da mulher no parto enquanto agride a mulher em casa.

#MeuAmigoSecreto é uma pessoa muito legal, querido pelos amigos, escreve poesia e tem uma fama super irada de ser um cara engraçado. Mas força sexo sem camisinha e anal com a namorada, faz ela se sentir um lixo quando não aceita e ainda acha bacana humilhação durante a relação sexual.

#MeuAmigoSecreto é um adolescente de 14 anos que "brinca" de masturbar as primas de 5 anos, as força a beijar o seu pénis e faz chantagem a dizer que conta tudo aos pais dele caso ela não faça mais o que ele pede. Afinal a prima é menina e é mais nova, portanto desde pequena é louca e mentirosa.

#MeuAmigoSecreto é pró feminista até fazer a mamãe botar a comidinha dele quentinha no prato todo dia, lavar as roupas na mão e deixar a casa impecável.

#MeuAmigoSecreto condena o aborto, mas abandonou a ex grávida e não assumiu o filho!

#MeuAmigoSecreto usa a amizade como instrumento para se aproximar de mulheres fragilizadas. Faz um jogo em que se mostra disponível, acolhedor e bom ouvinte, unicamente como forma de estabelecer dependência afetiva. Meu amigo ajuda a destruir a autoestima dessas mulheres, de modo a fazer parecer que ele é o único a escutá-las. A intenção é dominar. Estabelecer relações abusivas, cujo centro vai ser, cada vez mais, o desejo dele. Quando a relação termina, meu amigo gosta de falar dessas mesmas mulheres para se aproximar de outras. Fazendo com que elas se sintam diferentes de todas as "loucas" anteriores. No entanto, cada vez menos mulheres entram neste círculo.

#MeuAmigoSecreto acha esses posts de amigo secreto um saco pq na verdade ele tá vestindo todas as carapuças

Meu amigo secreto se diz "a favor" dos movimentos negro e feminista, mas acha que problematizar piadas racistas e misóginas é "falta de humor".%u202A #MeuAmigoSecreto

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA