Desvendando a calvície: queda de cabelo atinge dois bilhões de pessoas no mundo

Calvície é um problema não apenas de homens, mas também de mulheres, jovens e idosos

por Estado de Minas 24/11/2015 11:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Istock/Reprodução da internet
É normal que se perca até 100 fios de cabelo por dia (foto: Istock/Reprodução da internet)
Segundo a Academia Americana de Dermatologia, a calvície assola 2 bilhões de pessoas em todo o mundo. Entre elas estão homens e mulheres, jovens e idosos. Quem tem histórico familiar com casos de calvície ou começa a perceber a queda dos primeiros fios logo se depara com várias dúvidas e, principalmente, mitos. Segundo o cirurgião plástico Otávio Boaventura, especialista em transplante capilar, afirmações como “lavar os cabelos todos os dias aumenta a queda” e “usar bonés pode acentuar a calvície” são falsas. “É normal que se perca até 100 fios de cabelo por dia. Esse processo é comum e não diminui a densidade dos fios, já que faz parte do processo de renovação natural. Quando esse número cresce e a diminuição de volume se torna perceptível, é preciso se atentar e procurar uma orientação médica.”

Quando ela chega?
Não há uma regra absoluta. Em alguns casos, a calvície se inicia a partir dos 18 anos, podendo também ser um pouco mais tarde. Ela evolui de forma contínua e irregular, com períodos de queda mais acentuada, seguido de outros de estabilização. Normalmente, quanto mais cedo se instala a calvície, maior será sua evolução.

Existe calvície feminina?
A calvície também atinge as mulheres. A alopecia feminina pode se manifestar em três níveis. No primeiro grau, observa-se uma leve rarefação na risca no centro do couro cabeludo. No segundo, o grau intermediário, já é possível visualizar o couro cabeludo. No terceiro, o couro já fica bem mais evidente.

Quais são as causas?
As causas são variadas, mas a mais comum é a alopecia androgenética,
que tem a sua origem em fatores genético hormonais. Estresse, problemas
de tireoide, alterações emocionais e doenças autoimunes podem também
ser a causa da disfunção.

Como prevenir?
Quando a causa da calvície vem de heranças genéticas, é mais difícil prevenir. Mas o simples cultivo de alguns bons hábitos influencia na redução da queda dos cabelos. Entre eles, manter alimentação balanceada e rica em nutrientes, praticar exercícios físicos, evitar consumo excessivo de álcool e cigarro e manter os níveis de estresse controlados podem fazer a diferença.

Quais são as técnicas de transplante capilar?

Existem duas técnicas para a extração dos fios: a follicular unit transplantation (FUT) e a follicular unit extraction (FUE). Na FUT, é extraída uma faixa de tecido (com pele e cabelo), com o auxílio de bisturis e, em seguida, são utilizados fios de sutura para fechar a ferida resultante. Por isso, essa técnica costuma deixar uma cicatriz linear. Já a FUE é uma técnica mais moderna, ainda realizada por poucos cirurgiões no Brasil. Utilizando equipamento especialmente desenvolvido para esse fim, os fios são retirados um a um das regiões doadoras, sem necessidade de utilização do bisturi ou cortes.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA