Ministério da Saúde decreta situação de emergência em razão do aumento de casos de recém-nascidos com microcefalia

Doença reduz o tamanho do crânio e traz sequelas graves ao desenvolvimento do bebê

por Estado de Minas 12/11/2015 10:31

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução Facebook
Em setembro deste ano, a história do americano Emmett Buell Jaxon ganhou as redes sociais. Contrariando os prognósticos de que viveria apenas alguns dias, o bebê completou 1 ano de vida. O garotinho é diagnosticado com microhidranencefalia (nasceu sem grande parte do crânio e do cérebro) (foto: Reprodução Facebook )
O Ministério da Saúde (MS) decretou situação de emergência sanitária nacional devido ao aumento de casos no Nordeste de recém-nascidos com microcefalia, doença que reduz o tamanho do crânio e traz sequelas graves ao desenvolvimento do bebê. Em Pernambuco, ao menos 140 casos foram registrados em vários municípios, e há suspeitas no Rio Grande do Norte e na Paraíba. O número é 15 vezes superior à média apresentada no período de 2010 a 2014: nove casos por ano.

Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Castro, o governo vai monitorar e investigar com a Secretaria de Estado de Saúde de Pernambuco (SES-PE), a Organização Mundial de Saúde e a Organização Pan-Americana da Saúde todas as hipóteses da causa do surto. Há riscos de que a situação de emergência tome dimensão internacional. “Não há registros de uma situação como essa na história recente”, disse o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do ministério, Cláudio Maierovitch.

A microcefalia faz com que bebês nasçam com perímetro cefálico menor do que a média. Na maior parte das situações, a doença afeta o desenvolvimento cognitivo do bebê e está associada a retardo mental. A incidência é de um caso da doença para 6.250 bebês nascidos vivos. Também pode levar à morte. O problema pode ser provocado por uma série de fatores, desde desnutrição da mãe, abuso de drogas até infecções durante a gestação, como rubéola, toxoplasmose, citomegalovírus. Mas em Pernambuco os casos são diferentes. “Notamos características peculiares nos achados da tomografia. Não foi nada relacionado aos tamanhos das cabeças, mas percebemos calcificações e lisencefalia (cérebro com aspecto liso) nos pacientes”, informou a secretária-executiva de Vigilância em Saúde, Luciana Albuquerque. Uma das suspeitas investigadas é que os casos estejam relacionados a infecções por zika, doença transmitida pelo mesmo mosquito que causa a dengue e a chikungunya, o Aedes aegypti. Ainda não há, porém, nenhuma confirmação dessa hipótese.

OBSERVAÇÃO
No fim de agosto autoridades de saúde perceberam o crescimento no número de casos da microcefalia, levando o Ministério da Saúde a enviar a Pernambuco equipe especializada em emergências. Anteontem, a pasta ativou o Centro de Operações de Emergência em Saúde para acompanhar a situação. Pacientes estão sendo submetidos a exames, sem resultados até o momento. Equipes das secretarias de saúde também têm feito entrevistas com as mães dos recém-nascidos para saber sobre histórico anterior de doenças e informações sobre o pré-natal e o pós-parto.

Entre os dias 27 de outubro e 9 de novembro, o estado de Pernambuco registrou 141 bebês com a doença. Um protocolo clínico foi lançado pela SES-PE na terça-feira para orientar profissionais de saúde a estabelecer critérios para detecção do problema em recém-nascidos e definir fluxo de atendimento, diagnóstico, vigilância e acompanhamento dos bebês com a anomalia.

A maior concentração de suspeitos está distribuída nos municípios do Recife (16,9%), Jaboatão dos Guararapes (5,6%) e Olinda (5,6%), na Região Metropolitana.

Caso norte-americano
A história de Emmett Buell Jaxon, 1 ano, ganhou repercussão mundial depois que o pai do garotinho, Brandon Buell, fez um post emocionado no Facebook comemorando o primeiro aniversário do filho. O diagnóstico da criança não é de microcefalia, mas de microhidranencefalia.

Brandon e a mulher chegaram a receber a recomendação de encerrar a gravidez devido à má formação do cérebro de Jaxon. No entanto, o casal decidiu seguir com a gestação. Um ano depois, o Jaxon já ensaia as primeiras palavras e já balbucia  “papai” e mamãe”. Emmett nasceu em 27 de agosto de 2014.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA