Médico lamenta falta de avanço na pesquisa da fosfoetanolamina, pílula que combate o câncer

Renato Meneguelo faz parte do grupo de pesquisadores que detém a patente da substância

por Agência Estado 20/10/2015 10:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
EPTV / Divulgação
A fosfoetanolamina não foi testada em humanos (foto: EPTV / Divulgação )
O médico cancerologista Renato Meneguelo, que participou do desenvolvimento da fosfoetanolamina sintética, disse que a cápsula contra o câncer não é para ganhar dinheiro. Autor de um estudo que mostraria a eficácia da substância contra alguns tipos de tumores, o médico defende seu uso e diz não entender por que até agora hospitais e laboratórios não se interessaram em avançar nas pesquisas.

Meneguelo faz parte do grupo de pesquisadores que detém a patente da substância. Ele trabalhou com o químico Gilberto Orivaldo Chierice, pesquisador da Universidade de São Paulo (USP), no Instituto de Química de São Carlos. Meneguelo lamentou as críticas de colegas e as restrições ao uso da substância. Ele se mudou de São Paulo para o Ceará e atende seus pacientes com roupa escura, dizendo-se de luto.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA