Fortalecimento da musculatura do bumbum vai além da estética

Prioridade de muitas mulheres, malhar o bumbum ajuda a manter a posição ereta, reduzindo as forças que comprimem a coluna

por Zulmira Furbino 02/10/2015 10:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Cristina Horta/EM/D.A Press
Bia Bicalho, coordenadora das aulas coletivas da Bodytech, diz que o importante é realizar execícios eficientes e com extrema segurança (foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
Malhar o bumbum não é só uma questão de manter a vaidade. O fortalecimento dos glúteos vai além da estética, já que a região é fundamental para a estabilização pélvica e da coluna vertebral, exercendo uma função na marcha, mantendo a posição ereta e reduzindo as forças que comprimem a coluna. Nesse sentido, a prática ajuda a reverter lesões e a manter a postura correta. “Atividades cotidianas, como levantar da cadeira ou subir escadas, se realizadas incorretamente, podem permitir o deslocamento excessivo da coluna. Com o passar do tempo, também podemos desenvolver lesão não traumática por repetição. Por isso, malhar o bumbum deve ser algo feito por homens e mulheres”, explica Bia Bicalho, coordenadora das aulas coletivas da Bodytech.

O importante é realizar exercícios eficientes e com extrema segurança, para ajudar a estabelecer padrões de recrutamento muscular corretos, melhorar a estabilidade, o desempenho esportivo e a aparência da região. “O glúteo é um músculo muito importante e forte. Cumpre não só uma função estética, mas de estabilização da cintura pélvica e da coluna. É importante na postura, na caminhada e na corrida, porque suporta o peso dos membros superiores. Usamos os músculos do glúteo para tudo”, explica Bia. De acordo com ela, o glúteo enfraquecido pode causar uma série de desorganizações posturais num indivíduo, “o que pode provocar pequenas lesões relativas ao enfraquecimento desse grupo muscular”, observa.

Há várias maneiras de treinar o bumbum, como a musculação, exercícios funcionais, feitos com o peso do corpo, mas o importante é preparar um treinamento com recrutamento muscular diferente, já que todo músculo precisa de descanso. “O ideal para pessoas que já têm o hábito de fazer exercícios é trabalhar essa musculatura duas ou três vezes por semana”, ensina a preparadora física. Segundo ela, é possível trabalhar o glúteo com diferentes tipos de estímulo, mas com a orientação de um profissional. “É legal fazer treino de glúteo na musculação, no treino funcional e nas aulas coletivas, mas as pessoas não devem esquecer que é necessário que os exercícios sejam planejados.”

RESULTADOS

A estudante Ana Beatriz Mazoni, de 21 anos, faz musculação com a orientação de um personal trainner e gosta de fazer aulas de jump, spinning, ioga e balé fitness. “Gosto de aulas bem variadas e tenho preocupação em malhar essa parte do corpo. Se você quer correr ou fazer outros esportes, é preciso estar com todas as outras áreas do corpo fortalecidas. Se você pratica corrida e não tem o glúteo fortalecido, pode machucar o joelho”, compara. Luciana Procópio, advogada, de 40, também se preocupa em malhar glúteo, “por causa da lei da gravidade”. Segundo ela, os exercícios físicos, além de manterem a postura e a saúde do corpo, melhoram o tônus da pele. “Mas é preciso malhar muito para ver resultados”, afirma.

 

Treine você também

Cristina Horta/EM/D.A Press
(foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
1. Agachamento livre
Com os pés em ligeira abdução e afastamento na linha dos ombros, a pessoa deve agachar colocando o peso nos calcanhares. Manter o braço para frente pode auxiliar no equilíbrio.






 

Cristina Horta/EM/D.A Press
(foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
2. Abdução de quadril com joelho flexionado em decúbito lateral
Esse exercício deve ser realizado com a cervical apoiada nos braços. Colocar a mão direita na frente durante a atividade ajuda a estabilizar a coluna.

 





Cristina Horta/EM/D.A Press
(foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
3. Passada à frente unilateral
O exercício ativa os glúteos e quadríceps. O peso deve ser colocado no calcanhar e depois direcionado para a ponta do pé. Deve-se ter cuidado para não passar com o joelho a linha do pé.







 

Cristina Horta/EM/D.A Press
(foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
4. Subida unilateral no step
A série não deve partir de uma amplitude muito grande. Joelho e quadril devem formar um ângulo de 90°. Cuidado para não projetar o joelho para a frente durante a subida.






 

Cristina Horta/EM/D.A Press
(foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
5. Agachamento guiado
Segue o mesmo princípio do agachamento livre, mas é feito com uma barra num aparelho estável. Esse aparelho vai “guiar” o agachamento.

 







6. Extensão de quadril na posição de três apoios

O foco da atividade é o glúteo máximo. O movimento deve ser feito em cima do banco e não ultrapassar os 90°, que são o nível da coluna.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA