Especialista esclarece mitos e verdades sobre o glaucoma

Doença é a segunda causa de cegueira no mundo

por Agência Estado 11/09/2015 11:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
SXC.hu
Doença é mais comum a partir dos 40 anos (foto: SXC.hu)
Segunda causa de cegueira no mundo de acordo coma Organização Mundial da Saúde (OMS), o glaucoma é uma doença ocular hereditária, degenerativa e progressiva causada principalmente pelo aumento da pressão do olho e que leva à lesão do nervo óptico. A doença, que é mais comum depois dos 40 anos, é irreversível, mas pode ser tratada com colírios, laser e até intervenção cirúrgica. Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e membro da Sociedade Brasileira de Glaucoma, Abel Tenório esclarece as principais dúvidas sobre a doença.

O que é glaucoma?

O glaucoma é uma doença caracterizada pela lesão do nervo óptico e consequente diminuição do campo de visão. Na maioria das vezes está associada a pressão intraocular elevada.

Quais os sinais e sintomas do glaucoma?
O glaucoma pode ser crônico ou agudo Quando crônico, na sua fase inicial, raramente apresenta sintomas. Já na forma aguda, os sinais e sintomas são evidentes como dor ocular intensa, baixa da visão, observação de halos coloridos em torno da luz, náusea e vômito.

Ter familiares com glaucoma aumenta o risco de ter glaucoma?
Diversos estudos demonstram que o antecedente familiar positivo é um dos fatores mais importantes para o desenvolvimento da doença. Já se sabe que um terço dos portadores de glaucoma apresenta um familiar acometido. Isto ressalta a importância do exame oftalmológico nos parentes diretos dos portadores.

Quais as pessoas mais propensas a terem glaucoma?
Os idosos, parentes de portadores de glaucoma, negros, diabéticos, portadores de pressão arterial alta ou muito baixa , portadores de apneia do sono , nos que fazem uso prolongado de medicação a base corticoide e aqueles que apresentam enxaqueca.

Quais os exames necessários para diagnóstico do glaucoma?
O exame oftalmológico completo já é capaz de levar a suspeita e até mesmo, confirmar a doença. Contudo, o médico necessitará solicitar alguns exames para fechar o diagnóstico, determinar a forma, o estágio da doença, e assim melhor programar o tratamento .

A pressão alta dos olhos pode ser um indicativo de glaucoma?
Sim, o mais relevante fator de risco relacionado ao glaucoma é a pressão interna do olho alta. Entretanto este não é o único elemento que contribui para a doença, pois algumas pessoas com pressão do olho alta não apresentarão glaucoma e por outro lado, indivíduos com pressões consideradas normais podem apresentar lesão no nervo óptico característica da doença. Portanto, a avaliação cuidadosa do seu oftalmologista considerando o fundo de olho, campo visual e outros fatores de risco, é importante para o diagnóstico precoce.

Mesmo com a pressão ocular baixa a visão pode continuar piorando?
Verdade. O controle da pressão intraocular é fundamental para estacionar a lesão do glaucoma, mas já foi observado que ela pode continuar progredindo em alguns indivíduos, demonstrando que outros fatores devem estar relacionados com sua piora.

Quais fatores?
Pressão arterial muito baixa, apneia do sono, diabetes e outros distúrbios vasculares como enxaqueca.

O glaucoma deixa o paciente cego?
Sim, a diminuição progressiva do campo de visão periférico pode causar grandes dificuldades para perceber objetos a sua volta e com a evolução, se não houver tratamento, pode atingir a visão central até mesmo levar perda total da visão.

A cegueira causada pelo glaucoma é reversível?
Não. Ainda não dispomos de tratamento eficaz para recuperar as fibras nervosas lesadas no glaucoma. Por isso a importância dos exames periódicos para que se possa fazer o diagnóstico e tratar precocemente evitando a cegueira.

O colírio para baixar a pressão ocular deve ser usado para sempre?
Sim, a pressão interna dos olhos é um fator relacionado ao glaucoma que é possível de intervir. Os colírios que reduzem a pressão ocular são os meios até o momento mais seguros e como já foi comprovado que o controle da pressão retarda a evolução do glaucoma, é necessário o uso contínuo destes para proteger o olho da lesão glaucomatosa.

Quando se opera o glaucoma o problema da pressão está resolvido?
Na maioria das vezes ocorre o equilíbrio da pressão em um nível seguro, não precisando do uso de colírios. Mas, em alguns pacientes podem apresentar difícil controle mesmo após a cirurgia, necessitando manter os colírios ou até mesmo, um novo procedimento cirúrgico.

Quando se opera o glaucoma a visão pode voltar?
O objetivo da cirurgia é o controle da pressão ocular para evitar a progressão da lesão do glaucoma. Portanto, não melhora a visão já afetada.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA