Instituto Brasileiro de Medicina Natural traz a BH o curso de formação sobre 'agentes ativos da felicidade'

Aulas acontecerão nos dias 12 e 13 de setembro no Bristol Metropolitan Hotel

por Lilian Monteiro 03/09/2015 11:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Arquivo Pessoal/Divulgação
Psicóloga Marisa Oliveira e o médico Marcos Mundim vão participar do evento que tem a felicidade como tema central (foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)
Desde 1998, a felicidade é o foco científico da psicologia positiva. E a felicidade é o tema central do grupo de pesquisadores do cérebro da Universidade de Lisboa, Portugal, que ministram o curso de formação sobre “agentes ativos da felicidade”, nos dias 12 e 13 de setembro, às 18h, no Bristol Metropolitan Hotel, na Savassi, Região Centro-Sul de BH, trazidos pelo Instituto Brasileiro de Medicina Natural (Ibramena), para Belo Horizonte. No final do evento, haverá na Praça da Liberdade, das 16h às 16h30, uma cerimônia aberta à população e entidades representativas de meditação ecumênica, chamada “O gesto da esperança”, com a participação do grupo de teatro Sobre Fadas e Bolinha de Sabão. Vale ressaltar que o curso é ligado ao monge francês Matthieu Ricard, considerado o homem mais feliz do mundo.

Entre os grandes nomes que virão a Belo Horizonte, destaque para a psicóloga Marisa Oliveira, formada pela UFMG com equivalência da Universidade de Lisboa, executive master of positive psychology, pós-graduada em hipnose clínica, doutora em psicologia positiva e atuando na área de bioenergética quântica. Assim como a participação especial do pesquisador e psicólogo da UFMG Cristiano Gomes, chefe do Laboratório de Investigação da Arquitetura Cognitiva (Laico) e da pós-graduação em neurociências.

Marisa Oliveira explica que, da associação da hipnose clínica, do relaxamento e da meditação com os pressupostos da psicologia positiva, foi criado os “Agentes ativos da felicidade”. Ela enfatiza que a felicidade é uma decisão consciente, uma tomada de atitude interna que faz as coisas tomarem uma dimensão. “Mesmo diante do estresse, você vai tentar outra alternativa, é a resiliência, é buscar o bem-estar.” Ao enfatizar a ideia da felicidade como ciência, a psicóloga ensina que ela é sentida e percebida por meio de questões básicas como “o altruísmo que, aliás, é o bem de maior duração da felicidade, seis meses em média. Já o bem material tem duração de sete semanas (mesmo tendo ganhado na loteria)”. Ela explica que, ao associar “Agentes ativos da felicidade” com protocolos da psicologia positiva, a pessoa faz sua trajetória de vida, que passa a ter outro significado. Ela consegue resignificar.

A psicóloga prega o valor que é “adiar o prazer imediato em função do bem maior. O presidente Barack Obama não foi ao velório da avó... O bem maior é o objetivo, a prioridade, sem espaço para arrependimento. É maior que o ego”. No entanto, Marisa lembra que a frustração faz parte do crescimento. “Tomei uma atitude neste momento, passei por um tsunami. Por isso, trabalhamos o poder da palavra. Não vamos negar os problemas, queremos que seja paz e amor, sim, mas é algo interno, a felicidade é imprimida. E como toda decisão consciente pagamos um preço. A felicidade é algo que precisa ser cuidado, cultivado até florescer. Na realidade, a vida não é perfeição, mas o que podemos fazer a partir das nossas decisões.”

Marisa reforça que tudo na vida é opção, ser adulto é isso. E toda mudança significa ganho e perda, são sempre dois caminhos. Não dá para trilhar os dois, e é bom que tenha consciência de que, mesmo encontrando um deles, também vai deparar com ônus e bônus. “Viver é um desafio. Colecionamos a nossa trajetória, reciclamos o passado e aprendemos com os erros.”

HOLÍSTICA
Marcos Mundim, médico homeopata, acupunturista, nutrólogo, neuro-psiquiatra e ortomolecular, e coordenador científico do evento pelo Ibramena, diz que há 24 anos busca desenvolver práticas mais humanas na área de saúde, que visem integrar e formar o novo homem, de uma forma holística (bio-psíquico-social e espiritual). Para tanto, a promoção do curso de formação para “Agentes ativos da felicidade” faz parte dessa estratégia de curar as feridas internas e externas do ser humano associadas à dor psíquica, que é ao mesmo tempo um sofrimento emocional e físico. “Com práticas de acolhimento, bem-estar e comunhão com a natureza, despertando a alegria e a felicidade no sentido da transformação positiva da vida da pessoa.” Inclusive, revela Marcos, está previsto nessa parceria Brasil-Portugal, que agora se inicia na área da saúde, a montagem de um laboratório de ponta de estudos e pesquisas sobre o cérebro”.

Mais informações e inscrições para o evento: (31) 3282-2604 e (31) 3225-6166.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA