Cláudia Rodrigues fala sobre esclerose múltipla na Praça JK

Atriz participou de reunião em quiosque informativo montado na Região Centro-Sul de Belo Horizonte

por Izabella Figueiredo 30/08/2015 13:43

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Divulgação
Vivendo há 15 anos com o diagnóstico, atriz esclareceu dúvidas sobre doença que se manifesta geralmente entre os 20 e 30 anos; fadiga intensa, depressão e fraqueza muscular estão entre os sintomas (foto: Divulgação)
Neste domingo (30) é comemorado o Dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla. Instituída em 2006, a data foi oficializada pela Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (Abem) e visa buscar representatividade nacional para a doença e seus pacientes.

 

Em Belo Horizonte, a Academia Brasileira de Neurologia (Abneuro) armou quiosque na Praça JK no Bairro Sion, onde distribuiu folhetos informativos e contou com profissionais que esclareceram dúvidas sobre a doença. Quem esteve presente na ação foi a atriz Cláudia Rodrigues. Descoberta portadora da doença desde 2000, ela estava disponível para conversar com a população sobre a disfunção.

Um dos pontos mais trabalhados na ação realizada nesse domingo trata-se de que a esclerose múltipla é uma doença de jovens, que se manifesta geralmente entre os 20 e 30 anos.

 

A doença não tem cura e pode se manifestar por diversos sintomas, como: fadiga intensa, depressão, fraqueza muscular, alteração do equilíbrio da coordenação motora, dores articulares e disfunção intestinal e da bexiga.


O diagnóstico é feito através da história clínica detalhada, associada ao exame clínico e neurológico completos e confirmados por exames laboratoriais. Existem tratamentos para as primeiras fases da doença, e no Brasil eles são disponibilizados pelo governo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA