Prana vidya: técnica trabalha distribuição da energia vital do corpo de forma harmoniosa

O ser humano é um campo de energia, cuja distribuição nem sempre está em equilíbrio. Prática fortalece os chacras

por Zulmira Furbino 27/08/2015 09:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcos Vieira/EM/D.A Press
Os professores de ioga Sérgio (Swami Aghorananda) e Alcione (Gangadhara Saraswati) explicam que a prana vidya vai ajudar a melhorar a saúde e a entrar em sintonia com a energia do universo (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
 Nada mais comum na vida atual do que a prática de exercícios físicos e a adoção de uma alimentação saudável, combinada com a ingestão de suplementos alimentares. Mas, como diz a música dos Titãs, “a gente não quer só comida”. É ótimo cuidar do corpo, mas é preciso lembrar que, para a tradição do ioga, o ser humano é formado também por energia e por camadas mais sutis. Uma boa pedida para desenvolver a habilidade de entrar em contato e canalizar a profunda experiência da força vital para processos de cura e/ou acessos a níveis sutis de consciência é a prática do prana vidya, técnica compilada das tradições clássicas do ioga que trabalha a distribuição da energia vital do corpo de forma harmoniosa.

A prática será ensinada em Belo Horizonte em setembro, pelo mestre Swanda Anandananda Sarawasti, nascido na Etiópia, iniciado em Poorna Sannyasi em 1983 e radicado na Itália. A ideia central é que o corpo físico é um armazém de energia prânica (que vem da respiração), um dínamo, com tipos infinitos de correntes elétricas passando por toda parte e que há uma ligação dessa energia entre os corpos físico e psíquico. Assim, essa energia, ou força prânica, seria conversível em força material e vice-versa. “O pressuposto é que somos um reservatório de energia. Temos uma existência dentro desse campo de energia e podemos usar essa força para nossa harmonia psicofísica. Isso significa melhorar a saúde e entrar em sintonia com a energia do universo”, explica a psicóloga Junguiana, pedagoga e professora de ioga do Satyananda Yoga Center Alcione Ramos, chamada de Gangadhara Saraswati na tradição da prática.

De acordo com ela, como o ser humano é um campo de energia, pode ocorrer que essa força esteja em excesso em alguns lugares do corpo e em falta em outros. Por meio do prana vidya, seria possível harmonizar essa situação, distribuindo a energia de forma equilibrada no organismo. A base desse raciocínio é a famosa equação de Albert Einstein e = mc², que mostra que a matéria é energia em estado potencial. Segundo o prana vidya, também chamado de ciência da manipulação da energia, toda e qualquer fibra do corpo está conectada com a corrente prânica por meio de um complexo sistema de canais de energia ou fluxos conhecido como “nadis”, cuja função pode ser comparada com a de um sistema elétrico. A energia é distribuída em nosso corpo físico, da mesma forma como o sistema elétrico distribui energia a partir da estação de geração para o seu quarto.

Marcos Vieira/EM/D.A Press
Curso ensina as pessoas a produzir, direcionar, distribuir e equilibrar a energia do corpo, levando à cura de doenças (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)


DISTRIBUIÇÃO
Na visão do ioga, prana é a base da saúde humana e da doença, e mesmo as doenças de natureza psicológica são causadas por um desequilíbrio na distribuição prânica. Uma das principais estações de distribuição é um chacra chamado vishuddhi, situado na junção no pescoço. Os pranas são distribuídos a partir dele para diferentes partes do corpo – ouvidos, olhos, nariz, garganta, tireoide, paratireoides e timo. A distribuição indevida de prana para a tireoide, por exemplo, pode acarretar doenças emocionais, causadas por hipotireoidismo ou hipertireoidismo.

Já o chacra manipura, localizado atrás do umbigo, é o principal centro de distribuição para o sistema digestivo e as glândulas suprarrenais, que produzem o hormônio adrenalina. Se no organismo de uma pessoa existe distribuição indevida de prana desse chacra para as glândulas suprarrenais, ela vai sofrer de medo, psicose, colite e outras doenças somáticas. Por sua vez, o chacra svaddhisthana, situado no cóccix, é a estação de distribuição para todos os órgãos urogenitais, com exceção dos testículos, incluindo útero, ovários, rins, bexiga e órgão urinário. Se houver distribuição inadequada de prana partindo dali, pode ocorrer frigidez ou impotência. Todos esses problemas são considerados pelo prana vidya doenças somatopsíquicas, que nascem no corpo e viajam para a mente.

Segundo Sérgio Clarck, batizado de Swami Aghorananda no ioga, a técnica ensina as pessoas a lidar e a harmonizar a própria energia. “Trata-se de uma prática ancestral da tradição indiana de cura. A doença é um desequilíbrio que pode estar no nível físico, mental, emocional e também no espiritual. O prana vidya é uma técnica que pode atuar em todos esses campos”, explica.


Seminário de Prana Vidya 1 e 2
Data: 19 e 20 de setembro
Local: Satyananda Yoga Center (Rua Quintiliano
Silva, 368, Bairro Santo Antônio – BH)
Inscrições: até 12 de setembro

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA