Lifting sem cirurgia garante pele mais jovem

Técnica menos agressiva estimula a produção de colágeno

por Gláucia Chaves 03/08/2015 14:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução Internet
Técnica é capaz de levantar a pele, atenuando rugas e flacidez (foto: Reprodução Internet)
Manter-se sempre jovem é desejo de muitas pessoas e a ciência sabe disso. Entre os diversos tratamentos estéticos para conservar a cútis está o lifting, técnica capaz de levantar a pele, atenuando rugas e flacidez. Para quem não quer enfrentar o bisturi, há opções sem cortes e, consequentemente, sem os inconvenientes de uma cirurgia (como anestesia, internação etc.). A dermatologista Joana Costa, da Clínica Dermatológica Joana Costa, comenta que, para o procedimento dar certo, o paciente deve apresentar grau de envelhecimento leve a moderado. “São pessoas que têm o bigode chinês, perda da definição da mandíbula, pescoço flácido ou papada.”

A técnica é feita a partir da aplicação de fios de ácido polilático (PLA), polímero reabsorvível pelo organismo. Nas duas pontas da fita, há uma agulha. “O médico insere o fio até a camada de gordura e puxa, fazendo uma tração que estica a pele”, explica Joana Costa. Ele é tracionado no “sentido do rejuvenescimento”, ou seja, de baixo para cima. Além de atenuar as rugas, ajuda ainda na produção de colágeno. “A técnica, inclusive, pode ser feita em outras partes do corpo, como glúteos, braços e abdômen”, completa a médica. O lifting sem cirurgia tem duração de 24 meses, mas Joana recomenda reforçar o tratamento antes desse prazo. “Como o objetivo é manter o rejuvenescimento, o ideal é refazer a cada 18 meses.”

Valdo Virgo / CB / D.A Press
Clique na imagem para ampliá-la e saiba mais sobre a técnica (foto: Valdo Virgo / CB / D.A Press)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA