Cresce o número de pessoas que usam pouco ou nenhum xampu para lavar as madeixas

A busca é por fios mais naturais e livres de química

por Revista do CB 29/05/2015 15:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Uma das técnicas mais polêmicas dos últimos anos é o no poo. Ao pé da letra, sem xampu — adeptos menos radicais optam pelo low poo, que ainda usa um pouco de xampu. “Os seguidores da prática acreditam que os produtos convencionais removem os óleos naturais produzidos pelas glândulas sebáceas presentes no couro cabeludo e que existe um efeito rebote de maior produção de óleo por essas glândulas, causando um círculo vicioso que tornam necessárias mais lavagens para remover o excesso de óleo”, explica a tricologista Alessandra Juliano.

Reprodução Internet -
Lorraine Massey criou a tendência: libertação dos cosméticos (foto: Reprodução Internet - )
O método como é feito hoje foi criado por Lorraine Massey, autora do livro Curly girl (Garota encaracolada). A cabeleireira viajou o mundo todo e reparou que cabelos cacheados existem em todo lugar — e quase ninguém sabe cuidar deles com sucesso. O livro, de 2011, é quase um manifesto sobre como se libertar dos cosméticos que fazem mal aos fios. Lorraine também criou uma linha de produtos que encaixa em seus ensinamentos. Nada de sulfatos, silicones insolúveis, parafinas e óleos.

Algumas seguidoras acreditam que o ressecamento causado pelos sulfatos é, na verdade, o começo de um ciclo sem fim. Deficiente, o cabelo pede novas hidratações, tratamentos e produtos. Quando se lava o cabelo com o xampu com sulfato, toda a hidratação é perdida. Com o objetivo de fugir da armadilha, quem opta pelo no ou low poo percebe mudanças já no começo do tratamento.

“O low poo seria mais indicado para pessoas com cabelos crespos ou cacheados, em que a hidratação que vem do couro cabeludo tem dificuldade para chegar até as pontas. Tais práticas devem ser indicadas por profissionais, uma vez que o uso pode desencadear problemas no couro cabeludo e consequentemente queda de cabelo ou agravamento de problemas de dermatite e hiperproliferação de fungos e bactérias”, completa a tricologista. Ela conta que alguns dermatologistas, baseados em estudos, afirmam que uma redução gradual no uso de xampu pode, de fato, reduzir a produção das glândulas sebáceas, resultando em menos óleo nos fios.

Mesmo no caso do no poo, apesar de o procedimento eliminar boa parte dos produtos vendidos nas prateleiras das drogarias e dos supermercados, o cabelo não fica sem cuidado. É implementada uma nova rotina e, para manter os fios limpos, são usadas receitas caseiras ou produtos que não possuem sulfato, vaselinas, petrolatos e óleos. Já o low poo opta por xampus com agentes de limpeza mais leves, que produzem menos espuma. Alguns condicionadores fazem as vezes de xampu. Há vários grupos e vídeos na internet que ensinam a começar a técnica e a diferenciar os produtos liberados para uso.

Zuleika de Souza / CB / D.A Press
Rute é adepta do no poo: mais hidratação e menos frizz (foto: Zuleika de Souza / CB / D.A Press )


A servidora pública Rute Viana conheceu o no poo por meio de uma amiga. Nas férias, foi para a praia e resolveu começar lá mesmo a cuidar das madeixas maltratadas pelo sol e pelo mar. “Foi uma mudança completa desde a primeira. O meu cabelo ficou sedoso, mais hidratado, com menos frizz. Eu tinha medo de o cabelo ficar sujo, mas de jeito nenhum. Não largo o no poo nunca mais!”, conta, animada. Rute explica que os fios ondulados sempre foram ressecados, armados, e que começar o no poo foi muito mais fácil do que pensava. Hoje, aboliu o uso do pente e afirma que as madeixas nunca foram tão bonitas. “No momento que conheci, soube que era para mim. O cabelo está completamente diferente.”

Os mandamentos
  • Não usarás produtos com sulfatos, silicones, vaselinas, petrolatos e óleos
  • Não optarás por fontes de calor, como chapinha e secador, que danificam os fios
  • Abolirás o pente para desembaraçar os cabelos — ao usar os dedos, sentem-se melhor os nós e evita-se a quebra
  • Utilizarás fronha de cetim, que não absorve a hidratação e o óleo dos fios durante a noite

Aprenda a escolher

Vetados pelos adeptos do no poo

  • Silicones insolúveis: trimethylsilylamodimethicone, amodimethicone, cyclopentasiloxane, cyclomethicone, dimethicone, cetyl dimethicone, cetearyl methicone, dimethiconol, stearyl D, dimethicone, phenyl trimethicone, simethicone, polydimethylsiloxane, methicone, dimethylpolysiloxane.
  • Óleos minerais: petrolatum, mineral oil, parafinum liquid, vaselina, isoparafina e isododecane.
  • Sulfatos fortes (evitados também pelo low poo): sodium laureth sulfate, sodium myreth sulfate, sodium lauryl sulfate, ammonium lauryl sulfate, ammonium laureth sulfate, sodium C14-16 olefin sulfonate, TEA lauryl sulfate, TEA-dodecylbenzenesulfonate, sodium alkylbenzene sulfonate, ammonium or sodium xylenesulfonate.

Esporadicamente usados pelos adeptos do low poo

  • Sulfatos fracos: sodium cocyl isethionate, sodium lauryl sulfoacetate, sodium socoyl (or lauryl/lauroyl) sarcosinate, ethyl PEG-15 cocamine sulfate, dioctyl sodium sulfosuccinate, sodium lauryl glucose carboxylate, methyl cocoyl or lauryl taurate – mild, derived from coconut fatty acids, sodium cocoyl Glycinate.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA