Mulheres norte-americanas com maior nível de escolaridade têm mais filhos que uma década atrás

Estudo norte-americano aponta para o avanço feminino no mundo acadêmico e para um ambiente aberto às mães que trabalham

por AFP - Agence France-Presse 08/05/2015 10:07

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Mulheres americanas altamente instruídas têm mais filhos do que antes, sinal tanto do avanço feminino no mundo acadêmico como de um ambiente mais aberto às mães que trabalham - é o que aponta um estudo norte-americano publicado nesta quinta-feira (07/05).

Hoje, uma em cada cinco mulheres com idades entre 40 a 44 anos com título de mestre não tem filhos. Em comparação, em 1994, as mulheres com a mesma formação educacional que não tinham filhos era de uma em três.

A diferença é maior entre aquelas que possuem doutorado: 35% delas não tiveram filhos em 1994 contra 20% hoje em dia, segundo uma análise do Instituto de Pesquisa Pew Center com base em números do censo.

Seis em cada dez mulheres com pelo menos um mestrado têm dois ou mais filhos, em comparação com uma em cada duas em 1994. E a proporção daquelas com três ou mais saltou seis pontos.

Em contrapartida, o número de mulheres com um filho caiu em 20 anos de 28% para 23%.

"Vários fatores entram em jogo", disse a autora do relatório, Gretchen Livingston. "Cada vez mais as mulheres completam o segundo ou terceiro ciclo universitário. A quantidade de mulheres casadas e graduadas aumentou, e elas são mais propensas a terem filhos do que as solteiras". Além disso, segundo Livingston, "os costumes mudaram e hoje é mais aceito que as mães trabalhem".

O progresso da ciência também tem a ver com este panorama, já que as mulheres com maior nível de escolaridade têm mais tendência do que as outras a adiar o primeiro filho, tendo em vista que o risco de ser mãe após os 40 diminuiu.

Seja qual for o nível de escolaridade, o número de mulheres na casa dos quarenta sem filhos chegou ao nível mais baixo dos últimos 20 anos: 15% atualmente, contra 20% em 2005 e 10% em 1974.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA