Homens aderem à praticidade do coque

Cheios de estilo, homens aderem à praticidade do 'penteado' antes exclusivo das garotas

por Juliana Contaifer 26/03/2015 14:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Zuleika de Souza/CB/D.A Press
Apesar das críticas, Vitor (esquerda) é adepto do coque: gel para visual arrumadinho. Augusto adotou o look depois de passar por uma mudança de estilo (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
Coque no cabelo não é mais exclusividade feminina. Há algum tempo, o penteado padrão dos homens deixou de ser o curtinho que não precisa nem ser penteado. As madeixas deles vêm crescendo, ganhando forma. Se o corte do ano passado foi o estilo barber, com as laterais raspadas e o topo da cabeça mais comprido, este ano, a moda é o coque. Talvez por evolução do penteado de 2014 — afinal de contas, o cabelo cresce e acaba ficando muito maior do que o resto — ou por pura praticidade, não é difícil encontrar adeptos desse estilo por aí.

“É a moda da Europa que está chegando ao Brasil. O perfil do cliente que escolhe um penteado mais ousado com coque é aquele que tem liberdade no ambiente de trabalho, é um público mais despojado em relação ao visual. Mais prático, impossível”, explica o cabeleireiro Felipe Pimenta, ele mesmo adepto do estilo. A barba farta completa o look. Para a consultora de visagismo Naiara Borges, o modelo combina até com quem trabalha de terno e gravata todos os dias. “Tenho visto cada vez mais gente pedir esse penteado. Normalmente, são pessoas que viajam muito, consomem moda. Os executivos, que têm de andar mais formais, costumam optar por um bom produto para manter os cabelos arrumados e limpos, sem aquela cara de despojado”, afirma.

Existem dois tipos de coques. O estilo samurai, com as laterais raspadas, e o cabelo comprido penteado para trás, ou todos os fios grandes formando um coque maior. Para manter as madeixas no lugar, a indicação é usar uma pomada, um leave-in ou até mesmo gel (quando o objetivo é dar um aspecto de cabelo molhado). Outra indicação para quem quer ter o cabelo arrumado, mas natural, é a pasta de fibra.
Zuleika de Souza/CB/D.A Press
O cabeleireiro Felipe Pimenta usa coques e destaca que a procura pelo penteado é crescente (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

O arquiteto Victor Amaral, 26 anos, foi adepto do estilo barber, com parte do cabelo raspada na máquina zero, mas vem deixando o cabelo crescer — o objetivo é conseguir prender todos os fios em um só coque. “Enquanto não cresce, eu faço mesmo, um em cima e outro embaixo, para prender todo o cabelo. Todo mundo fala mal, mas não ligo muito para a opinião dos outros. Quando preciso me arrumar melhor, uso gel para grudar os fios soltos”, explica o arquiteto.

“Há alguns anos, passei por uma mudança de estilo. Mudei minhas roupas, mas sempre mantive o cabelo curto. Para mudar um pouco, deixei os fios crescerem. Como trabalho em cozinha, passei a prender em um coque para tirar o cabelo do rosto e descobri que é tendência. Em uma viagem à Argentina, vi muita gente com o bendito coquinho e adotei no dia a dia”, explica o chef de cozinha Augusto Carlessi, 23 anos. O penteado fez sucesso. Até desconhecidos param para elogiar o cabelo dele. Por ser muito ondulado, os fios precisam de hidratação, leave-in, pomada e, às vezes, uma escova. “Acho que fica bonito, porque acaba mostrando mais o meu rosto”, completa o chef.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA