Mulher faz inseminação artificial e engravida de cinco

Gravidez de quíntuplos está na 11ª semana. Dona de casa e o marido estão surpresos e felizes, e contam com a ajuda de parentes e amigos para montar enxoval

por Diário de Pernambuco 18/03/2015 13:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paulo Paiva/DP/D.A Press
Dona de casa que está com 11 semanas de uma gestação de quíntuplos (foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press)
“Você está grávida de cinco filhos.” Depois de receber a notícia dos médicos, Hildeane do Carmo Lopes Carneiro, 38 anos, ficou sem reação. “Na hora, eu não acreditei. Não sorri nem chorei”, contou a dona de casa que está com 11 semanas de uma gestação de quíntuplos.

Após mais de cinco anos de tentativas para engravidar, ela e o marido Valmir Carneiro da Silva, 33 - que vivem no Cabo -, fizeram inseminação artificial no Instituto Materno Infantil de Pernambuco (Imip), no início deste ano. Agora, estão surpresos e felizes com os filhos que vêm por aí. A primeira ultrassonografia mostrou três bebês. Os outros dois foram vistos apenas no dia 19 do mês passado.

De acordo com especialistas, a chance de engravidar de cinco filhos de uma vez é de uma em 40 milhões. Para acertar as seis dezenas da mega-sena com um jogo só, a chance é de uma em 50 milhões. Hildeane e Valmir podem dizer que tiraram a sorte grande, mas estão um pouco assustados. Ainda não foi possível identificar o sexo dos bebês. O casal conta com a ajuda da família e dos amigos e espera ainda a solidariedade para montar o enxoval dos filhos.

A notícia já chegou a quase todas as localidades do Cabo. “Em Escada todo mundo já sabe também. Nem sei quem levou a notícia para lá”, revelou a dona de casa. Hildeane será mãe de dois pares de gêmeos univitelinos (gerados a partir de um mesmo óvulo), além do quinto bebê. “Estou ficando muito cansada e, às vezes, sinto falta de ar. Mas a médica disse que os bebês estão bem. Estou fazendo exames a cada 15 dias no Imip”, contou.

Como os pais dos quíntuplos não estavam preparados, o que tinham comprado até o momento era um guarda-roupas. “Depois que soubemos que viriam cinco bebês, ganhamos um kit de bolsas e alguns pacotes de fraldas do meu compadre e compramos cinco travesseiros. Por enquanto, é só o que temos”, revelou Valmir Carneiro. Ele e a esposa estão aceitando doações de roupas, fraldas e outros produtos de enxoval para os bebês.

Curiosidades sobre o procedimento

  • A inseminação é realizada aproximadamente 36 horas após a mulher receber uma injeção de hormônio HCG. Geralmente, apenas uma inseminação é realizada por mês.

  • Em alguns casos pode-se aumentar a chance de gravidez realizando duas inseminações no mesmo mês

  • O teste de de gravidez é realizado entre 12 a 15 dias depois da inseminação

  • Se o exame der resultado positivo, é marcada uma ecografia para detecção de embrião com batimento cardíaco

O que é inseminação artificial?
Processo no qual o médico insere o sêmen do marido ou doador no colo do útero ou no fundo do útero da mulher, no momento da ovulação

Quando é necessária?
Em casos de alterações do colo uterino que impeçam ou dificultem a chegada
dos espermatozoides ao útero, e consequentemente, a gravidez
Em caso de alterações reprodutivas no homem, que dificultem a fecundação

História
O primeiro caso de inseminação artificial de que se tem notícia ocorreu em 1884 na Filadélfia, Estados Unidos, quando um médico e professor usou esperma de seu estudante “mais bonito” para inseminar uma mulher anestesiada, sem conhecimento de seu marido

Caso surpreende até especialistas
A gravidez de Hildeane do Carmo é classificada por especialistas em reprodução humana como um caso raro na medicina. “Trabalho com reprodução assistida desde 1990 e nunca cheguei a ver uma gestação de dois pares de gêmeos univitelinos resultantes de uma transferência de três embriões”, disse o ginecologista e especialista em reprodução humana Sebastião Teixeira.

O também especialista Eduardo Alves explica que os bebês podem nascer todos com o mesmo sexo ou não. “Os dois bebês que estão em cada um dos dois sacos gestacionais serão do mesmo sexo. O que se pode afirmar é que os dois pares de univitelinos não serão casais”, adiantou Alves.

A gestante conta que três embriões foram transferidos para o seu útero no dia 16 de janeiro. “Não tenho preferência por sexo, quero apenas que venha com saúde”, afirmou a dona de casa. O marido Valmir até já sonhou com o sexo dos bebês. “Serão cinco meninos.”

A reportagem procurou a médica responsável pelo setor de Serviço de Reprodução Humana Assistida do Imip, mas não obteve retorno.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA