Cientistas comprovam que leite materno ajuda na transição para alimentos sólidos

Bebês que recebem exclusivamente o leite da mãe têm uma flora intestinal mais preparada

10/02/2015 15:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
	Leandro Couri/EM/D.A Press
Mamaço na Praça da Liberdade: Mães amamentam crianças em prol do aleitamento materno (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Cientistas da Universidade da Carolina do Norte (UNC), nos Estados Unidos, detectaram mais um benefício do aleitamento materno. Segundo eles, recém-nascidos que recebem exclusivamente o leite da mãe têm uma flora intestinal mais preparada para receber e digerir alimentos sólidos. “A transição para sólidos é muito mais dramática para bebês que não são amamentados exclusivamente. Detectamos que os microbiomas dessas crianças podem contribuir para mais dores de estômago e cólicas”, diz Andrea Azcarate-Peril, professor assistente no Departamento de Biologia Celular e Fisiologia da UNC e autor sênior do estudo.

Foram coletadas fezes de bebês e informações sobre a dieta e a saúde deles da segunda semana de vida até os 14 meses. Os cientistas aplicaram técnicas de sequenciamento de genoma das amostras e analisaram os tipos e as funções das bactérias identificadas. Eles descobriram 20 enzimas bacterianas em bebês que foram alimentados exclusivamente com leite materno e passaram a receber alimentos sólidos depois de seis meses de vida. Nas crianças que receberam fórmula e leite materno, o número de enzimas chegou a 230, indicando uma mudança muito dramática na composição da flora intestinal em pouco tempo de vida.

“O estudo avança nossa compreensão de como o microbioma intestinal se desenvolve cedo, o que é claramente um período de tempo muito importante para a saúde atual e futura de uma pessoa”, ressalta Amanda Thompson, professora associada do Departamento de Antropologia da UNC e autora principal do estudo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os recém-nascidos sejam alimentados apenas com o leite materno nos seis primeiros meses de vida. Depois desse período, devem receber alimentos complementares, como sopas e papas, mas as mães devem dar continuidade à amamentação.

Dez dicas para facilitar a amamentação

1 Não passar cremes ou óleos nas aréolas e mamilos. O excesso de hidratação deixa a pele mais fina e propensa a fissuras. Lavar os mamilos apenas com água corrente, tomar banho de sol nos mamilos, em torno de 10 minutos.

2 Usar um sutiã adequado. Deve-se ter cuidado especial com os que abrem na frente para expor a mama. Observe se abre por inteiro. Aqueles que expõem só o mamilo podem comprimir a mama e causar desconforto.

3 Usar acessórios tipo concha. O tamanho da concha precisa ser avaliado em relação ao mamilo e ao do sutiã utilizado para evitar compressão exagerada da aréola ou dos ductos. Os principais benefícios são corrigir mamilo invertido ou plano, proteger o mamilo do contato direto com o sutiã e coletar o leite materno que fica vazando.

4 Em caso de mamilos planos ou invertidos, evite estimulá-los em excesso, com buchas ou toalhas para não machucá-los. Imediatamente antes das mamadas, massageie ou aplique compressas frias para ajudar no alongamento do mamilo.

5 Ao mamar, o bebê não deve pegar só o mamilo, e sim abocanhar toda a aréola (parte escura ao redor do mamilo). Desta forma, o leite sai com maior facilidade. Quando o bebê estiver com a boca bem aberta, é a hora de abocanhar o mamilo e a maior parte da aréola onde fica quase todo o depósito de leite.

6 Para evitar fissuras é necessário que o bebê abocanhe de forma correta a aréola e realize a sucção de forma adequada. Mas se você já tem fissuras, pode continuar amamentando. Após cada mamada, passe o próprio colostro no mamilo e na aréola, deixando-os secar ao ar livre. É indicado também o banho de sol nos mamilos.

7 Quando a mama está muito cheia, fica ingurgitada, dura e quente. Além do desconforto para a mãe, fica difícil para o bebê pegar corretamente. Portanto, antes das mamadas, faça massagens circulares nas mamas e as esvazie um pouco, manualmente ou com uma bombinha antes de oferecer o peito ao bebê

8 Ao retirar o bebê do peito, deve-se usar a técnica do dedo mínimo, em que a mamãe coloca o dedo mínimo na boca do bebê para enganá-lo. Ele aceita a troca do peito pelo dedo e não puxa o mamilo da mãe com força.

9 Em cada mamada, deve-se alternar a mama que é oferecida primeiro ao bebê. Só depois de esvaziada esta mama, deve-se trocar. Se o bebê ficar satisfeito com apenas uma mama, ofereça a outra na próxima mamada.

10 A mãe deve estar em uma posição bem confortável e adequada, de preferência sentada, com as costas apoiadas, os pés encostados no chão ou elevados em um banquinho. Um travesseiro ou almofada pode ser utilizado para ajudar a dar apoio.

VÍDEOS RECOMENDADOS