Shiloh, filha do casal Jolie-Pitt, usa terno e pede para ser chamada de John

A jovem de 8 anos sempre aparece com roupas de menino e pediu para ser chamada de John. Especialista discute o assunto

por Diego Ponce de Leon 27/12/2014 19:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

O vestuário da pequena Shiloh Nouvel, de 8 anos, anda levantando debates pela Europa e pelos Estados Unidos. A menina, filha de Brad Pitt e Angelina Jolie, prefere terno e gravata a vestidos. A predileção pelo universo masculino começou cedo. Aos 3 anos, a criança anunciou em casa que gostaria de ser chamada de “John”. O pedido foi atendido.

Veja a galeria com fotos de Shiloh ao longo dos anos

Desde as primeiras manifestações, os pais Brad e Angelina não demonstraram qualquer dificuldade com as escolhas. Pelo contrário. “O que há de estranho nisso? Algumas crianças querem a capa de Super-Homem, ela quer ser como seus irmãos mais velhos.”, declarou Angelina à revista Vanity Fair.

O assunto costuma repercutir pela mídia europeia e norte-americana a cada aparição da família, principalmente por encontrar resistência em parte dos leitores e até mesmo de membros da família. A mãe de Brad, por exemplo, tentou presentear a neta com vestidos e acessórios femininos. Não teve muito sucesso na empreitada.

Palavra de especialista
Segundo o psicólogo clínico Roberto Menezes de Oliveira, cujo trabalho se debruça sobre temas de gênero e sexualidade, não há qualquer motivo para alardes. “De forma alguma, a preferência por roupas indica alguma orientação”. Segundo ele, os motivos que levam a pequena Shi a preferir vestuário masculino não esbarram, necessariamente, em questões relacionadas à sexualidade: “Ela pode se identificar com algum familiar, experimentar alguma satisfação no estilo, querer parecer alguém”.

O psicólogo, que conta com mais de 25 anos de experiência, aproveita para ressalvar que “identificação sexual se difere de orientação do desejo sexual”. “Somente durante a adolescência a sexualidade será, de fato, cristalizada”, completa.

No que diz respeito à reação dos pais, Roberto pondera: “Os pais sofrem pressão familiar, da sociedade, dos amigos, o que não facilita nada”. De acordo com ele, a melhor maneira de tratar o assunto ainda é por meio da conversa: “O ideal é que os pais dialoguem com a criança de maneira franca. Por um lado, esclareçam que não há qualquer problema em se vestir de tal maneira. Que eles apoiam a preferência do filho ou da filha. Mas, talvez , seja importante também mencionar que aquela escolha pode gerar algumas reações pouco amigáveis”, sugere o profissional.

Para evitar qualquer transtorno na vida da criança, o psicólogo defende um ambiente de acolhimento. “As crianças devem ser expostas a todo tipo de vestimenta e de brincadeiras. E os pais precisam acompanhar de perto e permitir que a construção dessa identidade aconteça de forma natural e saudável”, finaliza.

O tema já foi tratado no cinema diversas vezes. Confira lista de filmes que debatem o assunto:

>> Gael García Bernal , em Má educação (2004)
>> Hilary Swank , em Meninos não choram (1999)



>> Julie Andrews , em Victor ou Vitória (1982)
>> Johnny Depp , em Antes do anoitecer (2000)
>> Dustin Hofman , em Tootsie (1982)
>> Glen Close e Janet McTeer , em Albert Nobbs (2011)
>> Felicity Hufman , em Transamérica (2005)
>> Chris Sarandon , em Um dia de cão (1975)
>> Jaye Davidson , em Traídos pelo desejo (1994)
>> Jared Leto , em Clube de compras Dallas (2013)
>> Cate Blanchett, em Não estou lá (2007)
>> Zoé Héran , em Tomboy (2011)
>> John Lithgow , em O mundo segundo Garp (1982)
>> Georges du Fresne , em Minha vida em cor-de-rosa (1997) Georges du Fresne
>> Clara Choveaux , em Tirésia (2003)

Colaborou Ricardo Daehn

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA