Vídeo de ex-obeso alerta para o excesso de pele após emagrecimento

John Claude, que perdeu 70 quilos, diz estar satisfeito, mesmo com a flacidez. Segundo especialistas, 90% dos pacientes com excesso de pele optam pela cirurgia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução Youtube
Diagnosticado com obesidade mórbida, John pesava 160 quilos. Após emagrecer, ficou com excesso de pele (foto: Reprodução Youtube)
O vídeo em que o jovem americano John Claude, 21 anos, aparece mostrando o resultado da perda de 70 quilos chama a atenção para o problema de excesso de pele em ex-obesos. Diagnosticado com obesidade mórbida, John pesava 160 quilos, mas decidiu emagrecer nos últimos meses. No vídeo, publicado no próprio canal do Youtube na última semana, Obese to Beast, ele mostra como a pele estica nas regiões dos braços, e o excesso em locais como o abdômen e a parte interna das pernas, mesmo tendo ganhado músculos durante o processo. Apesar do excesso de pele, John conta estar feliz em ter alcançado seu objetivo. "Obviamente, isso não é o ideal, mas quero que as pessoas entendam que não devem desistir dos seus sonhos. Meu sonho era ficar bem com meu corpo. Esse sou eu e estou orgulhoso disso", afirma no vídeo.



Segundo o cirurgião plástico Luciano Chaves, secretário-geral da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, cerca de 90% dos pacientes que perderam grande quantidade de peso procuram atendimento para retirada de excesso de pele. Chaves alerta, entretanto, que trata-se de um procedimento que exige bom planejamento. "Antes da cirurgia, esse tipo de paciente tinha uma doença e, agora, se depara com excesso de flacidez. Nesse caso, o paciente precisa entender que serão necessárias algumas cirurgias, dependendo da pessoa. Além disso, é preciso compreender a limitação dos resultados", explica.

O que não dá para evitar após a retirada de pele é a cicatriz. Como alerta o professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Edgar Rocha Silva, especialista em cirurgia plástica, essas cirurgias deixam mais cicatrizes do que as plásticas convencionais. "O problema da intervenção para retirar o excesso de pele é exatamente a cicatriz. É possível melhorar a aparência. A cicatriz pode ficar em um local mais escondido, mas não é possível se livrar dela", comenta.

Os especialistas concordam que o custo de uma cirurgia como essa pode variar de acordo com cada paciente. "Depende do número de cirurgias, do local da operação, e do profissional. Porém, não é algo barato", comenta o cirurgião plástico Noel Lima, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA