Felício Rocho atento à campanha de prevenção da saúde do homem

Instituto de Oncologia do hospital verifica a validação do índice de 90% de cura do câncer de próstata no diagnóstico precoce

10/11/2014 05:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcos Michelin/EM/D.A Press
(foto: Marcos Michelin/EM/D.A Press)
Um mês dedicado a falar especialmente sobre saúde masculina. A campanha Novembro Azul, cuja missão é orientar o homem a cuidar melhor de sua saúde, movimenta todo o país. No Hospital Felício Rocho não é diferente: um ambulatório, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, disponibiliza aos pacientes avaliações urológicas, como a da saúde prostática. A instituição ainda divulga e realiza palestras e reuniões sobre o assunto. Tais iniciativas trazem resultados como os alcançados pelo Instituto de Oncologia, unidade do Hospital Felício Rocho, onde se verifica a validação do índice de 90% de cura da doença no diagnóstico precoce.

Idealizada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia, o Novembro Azul, que integra o calendário nacional das campanhas de prevenção de doenças no Brasil, surgiu na Austrália, em 2003, em consonância com 17 de novembro, Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

Os exames de avaliação da doença – PSA (Antígeno Prostático Específico) e o toque retal – são simples e rápidos, como esclarece o urologista Francisco Guerra, do Instituto de Oncologia. Ele ressalta que é preciso acabar com o preconceito e o estigma que envolvem especialmente o exame local, que dura cerca de 5 a 10 segundos e é praticamente indolor. “É importante aliar o PSA ao toque retal, pois, juntos, eles dão precisão ao diagnóstico de até 80%. Em alguns quadros clínicos, também se faz necessário o ultrassom”, afirma.

Segundo Guerra, até um quinto dos pacientes terá somente alteração ao toque retal e um terço deles terá câncer apesar de valores do PSA dentro da normalidade para a idade, o que ressalta a importância do toque. “No exame local, percebemos em torno de 60% da superfície da próstata, onde estão localizados 70% dos tumores”, explica.

Despertar os homens para os cuidados com a saúde é essencial para que não se repitam números como os de 2011, em que se registrou a morte de um doente a cada 40 minutos, no país, totalizando 13.129 óbitos, e para que não se confirme a previsão do Inca (Instituto Nacional do Câncer), na qual, em 2014, serão descobertos 68.800 novos casos de câncer de próstata no Brasil.

Para Guerra, o Novembro Azul é uma campanha que tem uma dimensão muito grande, inclusive a de contribuir para o entendimento do trabalho do urologista, um especialista que atende homens na prevenção e no tratamento de doenças do aparelho genital e urinário, além de mulheres neste último. Ele reforça que a especialidade atua em tratamentos que compreendem desde microcirurgias até cirurgias laparoscópicas e robóticas e também de transplante renal. Este ano, a campanha conta com iniciativas como a iluminação de azul de pontos turísticos e monumentos, inclusive a fachada do Instituto de Oncologia, palestras informativas, intervenções em eventos populares e outras.

VÍDEOS RECOMENDADOS