Ellen Burkhardt tem 26 anos, é virgem e explica o porquê

Em entrevista, jovem norte-americana admite fazer parte da minoria e conta por que decidiu expor publicamente sua opção

por Silvia Mendonça 03/11/2014 15:03

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução Facebook
Foto do perfil de Ellen Burkhardt no Facebook (foto: Reprodução Facebook)
Ellen Burkhardt, 26 anos, é uma escritora e pesquisadora norte-americana que leva uma vida normal na cidade de Minneapolis, no estado de Minnesota. Nas últimas semanas, a moça foi tema de discussão em jornais dos EUA e ingleses por uma razão aparentemente prosaica: Ellen é virgem e, para a surpresa de muitos, pretende continuar assim até encontrar o que chama de "homem de sua vida". A intimidade da garota veio a público por iniciativa própria: recentemente, ela escreveu um pequeno ensaio no site Salon sobre sua decisão de esperar até o casamento. Foi o suficiente para ver suas convicções receberem apoio e desprezo, quase na mesma proporção.

Em entrevista por e-mail, a garota americana explica os motivos de expor publicamente sua virgindade, aborda as pressões da sociedade a respeito do assunto e conta como ela lida com o tema com a família, amigos e pretendentes.

Quando você se deu conta de que gostaria de continuar virgem até o casamento? Por que você tomou essa decisão?

Eu ainda era jovem quando decidi pela primeira vez que permaneceria virgem até o casamento, nos meus primeiros anos de adolescência. À época, a minha decisão foi baseada nos valores com que fui criada e porque não me parecia tão importante, eu mal tinha beijado um menino até aquele momento, então sexo não estava em minha mente. Fiz essa escolha porque sexo é a coisa mais íntima e emocional que você pode compartilhar com outra pessoa, e para mim, eu só quero ter essa ligação com um único homem: meu marido.

Você se sente, de alguma forma, julgada por pessoas ao seu redor (família, amigos, pretendentes)?

A minha família e os amigos próximos são favoráveis à minha decisão; alguns fizeram a mesma escolha e, portanto, entendem meus motivos. Eu não necessariamente me sinto julgada pelas pessoas, mas me sinto mal compreendida. Eu costumava ter medo de que uma vez que eu dissesse às pessoas sobre a minha decisão, elas pensariam que eu era uma puritana. Sinto-me mais julgada pela sociedade como um todo, porque a principal mensagem na mídia é que se você não está fazendo sexo, você não é normal.

Qual a reação das pessoas sobre a sua decisão?


A maioria fica surpresa. Eles imaginam que alguém que tem 26 anos e ainda é virgem deve viver no porão da casa dos pais com um bando de gatos. Muitas vezes me perguntam por que eu tomei essa decisão, se eu já namorei, como é namorar e não ter relações sexuais, esse tipo de coisa. Quando se trata de dizer ao cara que estou namorando sobre a minha decisão, porém, pode ser muito difícil. No momento em que eu decido tratar do assunto, eu já sei que eu realmente gosto dele e quero continuar namorando. Frequentemente, eles apoiam a minha escolha e ainda querem namorar, mesmo sem sexo, mas, eventualmente, não são capazes de manter o relacionamento. Às vezes, nós terminamos por outros motivos, mas eu diria que oito em cada 10 vezes é por causa do sexo.

Existe uma pressão social a respeito do tema...

A mensagem esmagadora da sociedade – TV, filmes, revistas, publicidade, músicas – é que sexo e amor são sinônimos; que você não pode realmente amar alguém se você não tem relações sexuais com ela. Sexo não é mais visto como algo especial compartilhado por duas pessoas apaixonadas, mas sim como algo que você "simplesmente faz" porque é esperado de você.

Qual o papel da religião na sua decisão?


Eu sou cristã e minha fé molda cada decisão que eu tomo. Em termos de impacto sobre a minha decisão, eu acredito que o casamento é estabelecido por Deus para ser uma união total entre duas pessoas, em que as duas se tornam uma só em seus olhos. Essa é minha visão do casamento: para mim, é lógico acreditar que o sexo só deve acontecer dentro de uma união de confiança, amor, sacrifício e compromisso. Sexo significa estar completamente vulnerável com alguém, e eu quero o meu marido seja a única pessoa a ter acesso a essa parte de mim.

Qual foi a repercussão depois do artigo?

Eu recebi centenas de mensagens, e-mails, comentários e tweets por conta do texto. Os que foram enviados diretamente para mim, em sua maioria, são de apoio e incentivo. Alguns são negativos ou preconceituosos, mas eu esperava receber mais assim.

Por que você acha que uma escolha tão pessoal despertou tanto interesse?

Acho que as pessoas estão interessadas em minha escolha de esperar porque faço parte da minoria. Menos de cinco por cento dos homens e mulheres com mais de 25 anos ainda são virgens. É algo muito incomum no mundo de hoje, e "virgem" tornou-se um rótulo negativo devido aos estigmas e estereótipos criados pela sociedade sobre a virgindade.

Pretendentes com os mesmos valores que os seus te abordaram após a publicação do ensaio?

Tiveram alguns caras, todos estranhos, que me convidaram para sair ou disseram que gostariam de namorar comigo se morassem na minha cidade, mas nenhum deles fez uma abordagem direta ou tentou "mudar minha mente." Existem vários homens – virgens ou não – que respeitam as mulheres e esperariam, felizmente, pela garota certa. Há também um monte de homens e mulheres que acreditam que não ter relações sexuais significa não estar em um relacionamento. Nenhum grupo está certo ou errado, apenas pensam diferente.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA