Cientistas franceses desenvolvem teste de diagnóstico rápido de ebola

Os exames atuais para diagnóstico de ebola, baseados na detecção genética do vírus, demoram em média mais de duas horas e devem ser praticados exclusivamente em laboratório. A análise rápida irá permitir o diagnóstico em locais afetados pela epidemia

por AFP - Agence France-Presse 21/10/2014 11:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cientistas franceses desenvolveram um teste para diagnóstico rápido do vírus ebola, cujo resultado sai em menos de 15 minutos, anunciou nesta terça-feira (21) a Comissão francesa de Energia Atômica e Energias Alternativas (CEA).

De acordo com a CEA, o teste, semelhante ao teste para o diagnóstico precoce da gravidez, "será utilizado no terreno, sem necessidade de material específico, a partir de uma gota de sangue, plasma ou urina", e permitirá uma resposta "dentro de 15 minutos para qualquer paciente com sintomas da doença".

Elaborado por uma equipe da CEA, o teste foi "validado" por um laboratório de alta segurança do instituto farmacêutico Jean Mérieux de Lyon (leste da França) com a cepa do vírus que atualmente atinge o oeste africano, segundo um comunicado da organização francesa de pesquisa.

A fase de produção comercial do teste deve começar em breve com a participação da empresa francesa Vedalab, líder europeia de análises clínicas rápidas.

Um protótipo estará disponível já no final do mês de outubro para permitir a validação clínica, de acordo com a CEA.

Os exames atuais para diagnóstico de ebola, baseados na detecção genética do vírus, demoram em média mais de duas horas e devem ser praticados exclusivamente em laboratório. A análise rápida irá permitir o diagnóstico em locais afetados pela epidemia.

Testes rápidos de ebola estão sendo desenvolvidos em diversos países. Cientistas japoneses anunciaram no mês passado um método para detectar o vírus em 30 minutos e cientistas americanos trabalham em um análise de dez minutos.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA