Flores são utilizadas na alimentação e em chás para desintoxicar o organismo e prevenir doenças

As essências florais também trabalham emoções e ajudam a restaurar o equilíbrio

por Carolina Cotta 16/10/2014 15:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
As flores podem trazer mais do que beleza e aconchego. Algumas têm propriedades capazes de promover o bem-estar e até mesmo auxiliar na cura de algumas doenças. A ayurveda, por exemplo, busca o equilíbrio entre corpo, mente e espírito por meio de meditação, ioga, alimentação saudável, massagens e uso de óleos e plantas medicinais. Para a milenar medicina indiana, tudo o que aproxima o homem da natureza traz equilíbrio e saúde. Por isso, considera as plantas e alimentos como remédios essenciais para prevenir e buscar a saúde. Segundo a terapeuta ayurvédica e especialista em terapia floral Patrícia Lopes, as essências florais trabalham emoções e ajudam a restaurar o equilíbrio, já que, por meio delas, é possível tratar doenças psicológicas e espirituais.

“Cada planta tem uma ‘assinatura’ que identifica o seu uso medicinal”, afirma a especialista, segundo a qual a maioria das flores têm óleo essencial, além de existir espécies que podem também ser ingeridas. “Tudo que nos afasta da nossa natureza causa desequilíbrio. Quando utilizamos o remédio ou o alimento vindo diretamente dela, o nosso corpo fica mais feliz e funciona melhor. As flores e plantas auxiliam o corpo a se desintoxicar e gerar mais saúde, sem agredir o nosso organismo com componentes estranhos e prejudiciais ao nosso metabolismo”, ressalta. Na massagem ayurvédica a pele é untada com um óleo medicado para tratar o desequilíbrio ou doença de cada pessoa em particular. Esses podem ser de ervas e flores

Ramon Lisboa/EM/D.A Press
O engenheiro Paulo Marques conheceu o poder curativo das flores por meio de alguns terapeutas amigos (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Algumas das opções são os óleos essenciais das flores de lavanda, camomila e rosas. O engenheiro Paulo Marques, de 27 anos, conheceu o poder curativo das flores há alguns anos, por meio de alguns terapeutas amigos de família. Para ele, os florais foram capazes de harmonizar o corpo, trazendo bem-estar e, muitas vezes, a cura de determinados padrões de comportamento. Também chás e homeopáticos são priorizados por ele. “O tratamento com flores potencializa a cura no indivíduo em diversos níveis. São remédios naturais que tratam de diversos males sem os efeitos colaterais dos remédios tradicionais. Não somente flores, mas também ervas medicinais”, acredita.

Paulo já usou óleos essenciais e é adepto da acupuntura para tratar de dores de garganta, enxaquecas, entre outros incômodos, tendo também experimentado o reiki. Todos os ajudaram, de alguma forma, a enfrentar alguns problemas, embora ele não descarte os medicamentos tradicionais por acreditar que algumas doenças precisam de atenção especial. Os óleos essenciais, por exemplo, ajudam a melhorar quadros de sinusite frequente. “Atuam como anti-inflamatórios naturais e mitigam os sintomas que muitas vezes são bem desagradáveis”, conta. Ele observa que os fitoterápicos têm um efeito mais rápido e positivo para o organismo.

COMO USAR
As flores funcionam como remédios naturais. Segundo Patrícia, muitas pesquisas já comprovaram suas funções terapêuticas pelo fato de agir em nosso organismo, assim como os remédios alopáticos, no mental e no físico, de acordo com cada doença ou desequilíbrio. Elas podem ser usadas de várias formas, como óleos na aromaterapia (cheiro), aromatologia (ingestão) e aplicação na pele. Também como chás, florais, tinturas e escalda-pés. O óleo essencial, entretanto, é o extrato mais forte da flor. Uma xícara de chá de camomila equivale a uma gota do óleo essencial puro, que pode ser ingerido em uma colher de mel ou de óleo vegetal carreador, o que torna o efeito mais rápido.

Mas a especialista alerta para alguns cuidados. Acha interessante que as pessoas pesquisem mais sobre o uso de remédios naturais, tomem mais chás e busquem óleos essenciais e florais, sempre com muito cuidado com as contraindicações de cada um, principalmente as grávidas ou pessoas com doenças graves. “Muito cuidado com o uso de plantas colhidas no mato por conta própria, porque é possível se confundir e consumir algo tóxico. Se não se tem certeza de que planta é, sugiro comprar em lojas especializadas em ervas ou farmácias naturais. Os florais hoje são encontrados com fórmulas prontas na maioria das farmácias naturais. Isso é bacana para problemas simples, pois as pessoas podem se automedicar sem riscos”, defende.
Reprodução Internet
A camomila é conhecida pelo seu forte poder calmante mental e corporal (foto: Reprodução Internet)

FLORES QUE FAZEM BEM


  • Camomila
    » Conhecida pelo seu forte poder calmante mental e corporal. Excelente para dores de cabeça, insônia, ansiedade, depressão, histeria, desordens menstruais, cólicas, problemas de pele, cefaleia. Pode ser consumida em forma de chá ou óleo essencial.
  • Lavanda
    » É excelente para tensão, cansaço ou depressão, problemas de pele e odores. Por ser tão suave, o óleo pode ser aplicado sem diluir em queimaduras, para diminuir cicatrizes e picadas de insetos. Abaixa a pressão arterial, problemas menstruais, alivia náuseas, cólicas e vômitos. Pode ser consumida em forma de chá ou óleo essencial.
  • Rosas
    » Usadas para tensão, depressão, dor de cabeça e insônia, sendo também excelentes para a pele, em especial aquelas com rugas, rachadas, ressecadas e maduras. Estimulante circulatório, são ótimas opções para resfriados, infertilidade, perda dos cabelos, menopausa, distrofia muscular, sinusite, esterilidade, problemas de reprodução femininos, ansiedade e crise emocional. Podem ser consumidas em forma de chá ou óleo essencial.
  • Floral de rosa (Rosa grandiflora)
    » Essência floral trabalha a fotofobia (pessoas que não suportam a presença da luz). Essa roseira também pode ajudar nas inflamações dos olhos, boca e garganta. Combate a tuberculose e diarreias. Pode ser consumida como chá.
  • Floral de Melissa
    » Utilizado como calmante relaxante, excelente nos distúrbios de origem nervosa, histerismo, hipocondria, nas afecções do sistema digestório, debilidade geral, dispepsia, desmaios, vertigens, epilepsia, flatulência e palpitação do coração. Também pode ser consumida como chá.
Fonte: Patrícia Lopes, terapeuta ayurvédica


Maria das Graças Lins Brandão - doutora em ciências, professora da faculdade de farmácia da Universidade Federal de Minas Gerais e coordenadora do centro especializado em plantas aromáticas, medicinais e tóxicas (Ceplamt-UFMG)

Algumas pessoas ainda veem o tratamento com fitoterápicos como “alternativo”. Que evidências científicas comprovam a efetividade de tratamentos baseados em flores?
O tratamento com fitoterápicos não é considerado “alternativo”, e sim complementar. Isso ocorre porque os fitoterápicos são aqueles produtos feitos com plantas que têm evidência científica, atestadas em ensaios farmacológicos conduzidos em laboratório, como qualquer produto sintético ou “de farmácia”. Já os florais, por exemplo, são tratamentos alternativos, pois não contam com tais evidências.

Quais são as principais flores medicinais e para que são indicadas?

Algumas flores são consideradas fitoterápicos porque já foram estudadas, como a camomila, que tem substâncias químicas eficazes como calmante (flavonoides) e anti-inflamatório tópico (azuleno). Outra é a calêndula, com substâncias envolvidas na cicatrização (terpenos). Outras flores testadas e ativas são a arnica, que tem substâncias que atuam como anti-inflamatório tópico, e a macela-do-campo, que tem flavonoides anti-inflamatórios.

Em que formato devem ser empregadas? Algum meio é mais efetivo que outro? Por quê?
O importante é fazer uma extração eficaz dos componentes ativos de cada planta. Para a camomila, calêndula e marcela, o chá feito por decocção (cozinhar a planta) extrai os flavonoides. Mas se o objetivo é o efeito anti-inflamatório da camomila, deve-se fazer a infusão, pois as substâncias ativas se perdem com o calor. Já a arnica verdadeira não é encontrada no Brasil e é necessário adquirir os produtos nas farmácias.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA