Instittuto no Rio de Janeiro promove mutirão para implante de prótese de quadril em 100 pacientes

Objetivo é reduzir a fila de espera pelo procedimento ortopédico de alta complexidade

por Agência Brasil 04/10/2014 10:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into), no Rio de Janeiro, opera, até a próxima quarta-feira (8), aproximadamente 100 pacientes. A maior parte das cirurgias é para colocação de próteses de quadril. Iniciado nesta quinta-feira (2), esse é o vigésimo mutirão de cirurgias do Into.

O objetivo é reduzir a fila de espera pelo procedimento ortopédico de alta complexidade no estado, conhecido como artroplastia primária de quadril. A operação consiste em implantar uma prótese para substituir a articulação desgastada por doenças como artrose, artrite e problemas circulatórios na cabeça do fêmur.

Conforme o chefe do Centro de Cirurgia de Quadril do Into, Marco Bernardo Cury, a cirurgia está entre as principais demandas. “A artrose limita a vida, porque causa dor, diminui o movimento da perna e encurta o membro. Considero essa cirurgia a de maior sucesso na ortopedia, pois reduz a dor e restaura o movimento da perna, permitindo que o paciente volte a andar, retomando suas atividades”, ressaltou Marco Bernardo.

Em média, o instituto faz 700 consultas mensais. Ano passado, registrou 1.109 cirurgias de quadril, sendo 769 de artroplastia total para colocação da primeira prótese. Desde janeiro de 2013, foram 14.773 procedimentos cirúrgicos.

O Into promove periodicamente mutirões e parcerias com hospitais da rede pública para reduzir a fila. Em dezembro de 2012, 21 mil pessoas aguardavam por cirurgia. Esse número caiu para 14 mil em 2013 e 5,2 mil este ano. Também participal das ações órgãos de controle, como o Ministério Público Federal e o Departamento Nacional de Auditoria do SUS, vinculado ao Ministério da Saúde.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA