Estudantes de medicina ministram curso de reanimação cardiopulmonar para leigos em BH

Maior parte das paradas cardíacas acontece fora dos hospitais. Estudo indica que a sobrevida de vítimas aumentou de 3,7% para 9,8% a partir do momento em que leigos passaram a participar de campanhas de orientação

05/09/2014 10:39

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Juarez Rodrigues/EM/D.A Press
Cerca de 90% das vítimas de parada cardíaca morrem antes de chegar ao hospital, mas uma reanimação cardiopulmonar imediata pode aumentar muito as chances de sobrevivência (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Alunos da Faculdade de Medicina da UFMG e da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais vão ministrar, neste sábado, 6, curso gratuito de reanimação cardiopulmonar no Shopping Boulevard, das 10h às 18h (Avenida dos Andradas, 3000). O evento, que faz parte da programação do Dia Nacional da Reanimação Cardiopulmonar, é organizado pela Liga Acadêmica do Trauma e Emergência de Minas Gerais.

A parada cardiorrespiratória é um evento súbito e imprevisível, que pode acontecer a qualquer momento e com qualquer pessoa, independentemente da faixa etária. De acordo com o presidente da Liga Mineira, Diomildo Ferreira Andrade Júnior, a importância do conhecimento sobre a reanimação cardiopulmonar se dá na medida em que grande parte das paradas cardíacas ocorrem fora dos hospitais, sendo 84% delas em domicílios.

Cerca de 90% das vítimas de parada cardíaca morrem antes de chegar à unidade de emergência, mas uma reanimação cardiopulmonar imediata pode aumentar muito as chances de sobrevivência.

O colapso ocorre quando o bombeamento de sangue pelo coração é interrompido. Assim, o fluxo para os órgãos cessa de forma súbita e completa, acarretando perda de consciência e respiração, entre outros problemas. Cada minuto sem manobras de reanimação reduz em 10% as chances de sobrevivência. Depois de apenas três minutos, os neurônios começam a morrer.

Estudo do Colégio Americano de Cardiologia concluiu que a sobrevida global de vítimas de parada cardiorrespiratória aumentou de 3,7% para 9,8% a partir do momento em que leigos passaram a participar de campanhas de orientação ao público sobre técnicas de reanimação.

Belo Horizonte é uma das nove cidades que aderiram ao Dia de Reanimação Cardiopulmonar, comemorado em 30 de agosto. Seis delas promoveram seus eventos no próprio dia 30. Outras duas, no dia 29 de agosto. No total, 14 Ligas Acadêmicas de Trauma e Emergência ensinaram as manobras a cinco mil pessoas. As atividades, que envolvem estudantes da área de saúde, médicos e enfermeiros, têm o apoio da SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado).

SERVIÇO:
Belo Horizonte (MG)

Data: 06 de setembro
Horário: das 10h às 18h
Realização: Liga Acadêmica do Trauma de Minas Gerais – LAT – UFMG
Contato: www.facebook.com/lat.mg

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA