Segunda etapa da vacinação contra HPV começa nesta segunda

Meninas entre 11 e 13 anos receberão a segunda dose da vacina quadrivalente nas escolas, pública ou privada, e nos centros de saúde

29/08/2014 13:27

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Nesta segunda-feira, 1º de setembro, começa a segunda etapa da vacinação contra o papilomavírus humano, o HPV. A imunização passou a ser oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em março deste ano e contempla meninas entre 11 e 13 anos. O Ministério da Saúde já anunciou que, a partir de 2015, outra faixa etária será beneficiada pela vacina, pré-adolescentes de 9 e 10 anos. Mais de quatro milhões de meninas foram vacinadas na primeira etapa da imunização que é dividida em três fases. Arthur Chioro elogia a taxa de cobertura de 87% na aplicação da primeira dose e reforça a importância da segunda dose, cobrando forte mobilização dos estados e municípios e das redes pública e privada de educação. "Precisamos garantir uma cobertura de pelo menos 80% na segunda dose", disse. "Com toda certeza, o sucesso da segunda fase vai se repetir neste momento e, com isso, vamos reescrever a história do câncer de colo de útero nesse país", declara o ministro.

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Estudante recebe a primeira dose da vacina contra o HPV (foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O Ministério da Saúde vai repetir a estratégia de oferecer a imunização dentro das escolas, além dos postos de saúde. O secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, lembrou que a vacina quadrivalente protege contra quatro subtipos do HPV (6, 11, 16 e 18). Os subtipos 16 e 18 são responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo de útero, enquanto os subtipos 6 e 11 respondem por 90% das verrugas anogenitais. Jarbas alertou que a aplicação da segunda dose, seis meses após a primeira, é fundamental para garantir a imunização. "Sem a segunda dose da vacina, não há proteção".

Oncologista e presidente do conselho administrativo da Oncoclínicas do Brasil Bruno Ferrari afirma que a gratuidade da imunização é um avanço, uma vez que a vacina existe em serviços brasileiros particulares e custa até R$ 800. “A vacina imuniza contra quatro dos mais agressivos subtipos do HPV e pode reduzir, consideravelmente, os registros de câncer de colo de útero”, observa.

A vacina também está disponível nos postos de saúde para meninas que ainda não tomaram a primeira dose. Para receber a segunda dose, basta apresentar o cartão de vacinação ou documento de identificação. A terceira dose da vacina será aplicada cinco anos após a primeira.

O câncer de colo de útero é a terceira principal causa de óbitos por câncer feminino no mundo, atrás apenas do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. “O Instituto Nacional do Câncer revelou que em 2013 foram registrados quatro mil óbitos de brasileiras pela doença. Para 2014, a estimativa de novos diagnósticos da doença é de 15, 5 mil”, afirma Ferrari.

O MS reforça a importância do uso do preservativo como proteção contra as demais doenças sexualmente transmissíveis e da realização do exame conhecido como papanicolau em mulheres a partir dos 25 anos.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA