Unhas: estudo mostra que pouca gente conhece ou dá a necessária atenção à onicomicose

Infecção não se cura sozinha e pode até passar para a pele

por Flávia Duarte 29/08/2014 15:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Muitas são as razões que levam os pacientes aos consultórios dermatológicos, mas raros são aqueles que se preocupam com as unhas. Essa foi uma das conclusões do Estudo Observacional da Epidemiologia da Onicomicose nos Consultórios Dermatológicos, coordenado por Nilton Di Chiacchio, chefe da Clínica de Dermatologia do Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo. O trabalho inédito no país teve como um dos objetivos dimensionar o conhecimento do brasileiro sobre um problema comum, mas que nem sempre merece a devida atenção: a onicomicose, popularmente conhecida como micose de unha.

A pesquisa envolveu mais de 7.800 pacientes de 40 clínicas dermatológicas do Brasil e mostrou que 28% dos pacientes que participaram da investigação apresentavam a infecção causada por fungos, além dos 53% que tinham histórico da doença. “Muita gente desconhece que tem o problema, pois é assintomático. As mulheres acabam disfarçando com esmaltes; os homens com meias e sapatos fechados. Assim, a unha com sinais da doença acaba sendo deixada de lado. O problema é que a infecção não se cura sozinha e pode comprometer ainda mais a unha e até passar para a pele”, alerta a dermatologista Camila Cazerta, uma das investigadoras do trabalho.

Valdo Virgo/CB/D.A Press
Clique na imagem para ampliá-la e saiba mais (foto: Valdo Virgo/CB/D.A Press)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA