Ebola: Alemanha descarta possível caso; Califórnia isola paciente

Segundo boletim médico, a paciente, uma mulher de 30 anos que nasceu no oeste da África, tem malária

por AFP - Agence France-Presse 20/08/2014 08:03

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Uma paciente africana que apresentava sintomas similares aos do vírus do Ebola tem na realidade malária, anunciou nesta quarta-feira o hospital de Berlim responsável pelos exames. "As suspeitas de Ebola em Berlim não foram confirmadas", anunciou o hospital Charité, o maior centro médico da capital alemã.

A paciente, uma mulher de 30 anos que nasceu no oeste da África, sentiu uma indisposição na terça-feira em uma agência de emprego em Berlim e tem malária, segundo o boletim médico. A agência de emprego de Berlim foi colocada em quarentena na terça-feira.

Várias pessoas que entraram em contato com a paciente foram submetidas a exames para descartar o contágio.

Califórnia isola paciente com suspeita
Um paciente que pode ter sido exposto ao vírus do Ebola foi isolado em um hospital de Sacramento, na Califórnia (EUA), informou nesta terça-feira um especialista.

"Estamos trabalhando com a divisão de Saúde Pública do condado de Sacramento na observação de um paciente internado no centro médico Kaiser Permanente South Sacramento suspeito de ter sido exposto ao vírus do Ebola", disse Stephen Parodi, especialista em doenças infecciosas.

O Centro para Controle e Prevenção de Enfermidades (CDC) examinará as amostras de sangue para determinar a presença do vírus. "Para proteger nossos pacientes, pessoal e médicos, mesmo sem a infecção estar confirmada, tomaremos as ações recomendadas pelo CDC, como fazemos com os demais pacientes com enfermidade infecciosa suspeita", explicou Parodi.

"Isto inclui o isolamento do paciente em um quarto especialmente equipado e o uso de equipamento de proteção por pessoal treinado, em coordenação com especialistas de enfermidades infecciosas".

Dois pacientes americanos - um médico e uma voluntária - foram trazidos aos Estados Unidos da África no final de julho, para um tratamento experimental. A atual epidemia de Ebola já deixou 1.200 mortos, principalmente na Libéria, Guiné e Serra Leoa.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA