Você sabe quais são os perigos de usar maquiagem vencida?

Cosméticos fora da validade podem estar contaminados por fungos e bactérias e causar desde irritações na pele e áreas dos olhos até acne, conjuntivite e infecções

por Valéria Mendes 07/08/2014 08:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Boticário/Divulgação
(foto: Boticário/Divulgação)
Você sabe qual a data de validade do batom que está na sua boca neste momento? E daquele estojo completo de sombras capaz de resolver qualquer desejo de maquiagem seu e de todas as suas amigas ao mesmo tempo? A falta de atenção com essas informações é mais comum do que se imagina. “Na prática, é muito difícil conseguir saber a data certa. Jogou a embalagem fora, já perde o controle”, alerta a dermatologista Ana Cláudia de Brito Soares. Para começar, a forma como esses dados aparecem variam: tanto pode ser o mês e o ano quanto, como é comum nos importados, o número de meses de validade após aberto. Por isso, o ideal é anotar a informação no próprio produto.

Leia também:

Mulheres cegas fazem curso de maquiagem

Reprodução
A informação sobre o prazo de validade de cosméticos varia: tanto pode ser o mês e o ano quanto, como é comum nos importados, o número de meses de validade após aberto (foto). Para piorar, a embalagem costuma ir direto para o lixo dificultando ainda mais o controle (foto: Reprodução)
Quando o prazo de algum cosmético se esgota significa dizer que os conservantes não funcionam e o produto pode ser contaminado por fungos e bactérias. As consequências podem variar entre uma irritação na pele (vermelhidão, coceira, descamação), o fechamento de poros com o aparecimento de acnes, alergias e até infecções. “Os produtos aplicados nas áreas dos olhos precisam de atenção maior já que, se contaminados, podem provocar, por exemplo, conjuntivite”, ressalta Ana Cláudia que é diretora do Departamento de Dermatologia da Associação Médica de Minas Gerais (AMMG).

Para complicar um pouco mais, mesmo se você é do tipo detalhista e sabe de cor a validade de todos os seus itens de maquiagem, é importante se ater a isto: “Mesmo dentro do prazo, mas se conservado fora das condições adequadas, os cosméticos podem ser perigosos”, explica a vice-presidente do Departamento de Dermatologia da AMMG, Maria de Fátima Melo Borges. Alguns sinais podem indicar que chegou a hora de jogar fora. “O produto em condições adequadas mantêm a mesma aparência do momento em que foi aberto. Mudança na cor, no odor, separação de camadas (líquido na superfície) são sinais de que o cosmético não deve ser usado, mesmo se ainda estiver dentro da validade”, alerta a especialista.

Reprodução Internet
Se a pele ficou com aparência craquelada, é sinal de maquiagem vencida (foto: Reprodução Internet)
Ana Cláudia de Brito Soares explica também que a maquiagem vencida nunca vai dar um efeito bonito: “O produto perde a estabilidade e a pele fica com visual craquelado”. A conclusão é que devem ser levados em conta não apenas a data de fabricação e o limite da validade, mas também a aparência do cosmético. No caso do rímel, se ele ficou ressecado, esqueça, é sinal de que não deve ser utilizado. Para as sombras, o aspecto quebradiço também é motivo para não usar mais.

Atenção redobrada com os olhos
Para o presidente do Departamento de Oftalmologia da AMMG, Luiz Carlos Molinari, o grande problema de qualquer substância que entre em contato com a conjuntiva - membrana extremamente vascularizada que reveste a superfície ocular - é que ela irá ser absorvida e cairá diretamente na circulação sanguínea. “Caso a maquiagem esteja vencida ou contaminada pelo uso prolongado e de exposição ao ar por muitos anos, com certeza, podemos concluir que se tocarem a conjuntiva podem causar incômodo e até mesmo infecção”, afirma o especialista. No entanto, segundo ele, não existem estudos suficientes para detalhar tais complicações, apesar da certeza dos riscos para os olhos. “No caso das pálpebras, pode haver descamação e até blefarite, afecção palpebral que se apresenta com as bordas das pálpebras avermelhadas”, explica. A doença ainda causa coceira, olho vermelho, pode provocar ardência e sensação de areia nos olhos. Entre as complicações está a inflamação dos tecidos oculares até atingir a córnea.

O oftalmologista cita o estudo intitulado Ugly Risks of Beauty Routines ('Riscos da Rotina de Beleza', em tradução livre), publicado na Medscape Womens Health, que cita os eventos adversos dos cosméticos. “Eles variam em gravidade do superficial para o sistêmico. Ou seja, desde conjuntivite causada pela maquiagem dos olhos contaminada, até infecções fúngicas que a mulher pode contrair, por exemplo, na manicure”, alerta.

Lentes coloridas
Outra preocupação de Luiz Carlos Molinari é o uso de lentes coloridas gelatinosas. “Elas entrariam no escopo da maquiagem na medida em que são usadas com fins estéticos. No entanto, essas lentes são verdadeiros agentes transmissores de ceratites quando não convenientemente esterilizadas”, reforça. Segundo o oftalmologista, é comum o empréstimo de lentes coloridas ou cosméticas que podem transmitir de patologias oculares até sistêmicas. A ceratite é uma inflamação da córnea que pode levar ao déficit visual até à perda completa da visão.

Não guarde maquiagem no banheiro
Ana Cláudia recomenda que toda e qualquer maquiagem seja conservada em ambiente seco e com muita luz. Ou seja, dentro da bolsa e no banheiro o tempo de vida útil do produto diminui. “A variação de temperatura e de umidade dentro do banheiro é grande. O ideal é guardar a maquiagem dentro de uma caixa com tampa para vedar bem”, sugere.

SXC.hu/Banco de Imagens
Não deixe resíduos acumularem nos pincéis que podem se tornar fonte de contaminação (foto: SXC.hu/Banco de Imagens)
Pincéis e esponjas também são fonte de contaminação
Pincéis e esponjas devem ser lavados regularmente para evitar o acúmulo de resíduos. “A esponja deve ser trocada regularmente. No caso do pincel, a dica é lavar com shampoo neutro e secar com o secador. Deixá-lo úmido também pode gerar contaminação”, explica Ana Cláudia de Brito Soares.


Aprenda como usar usar os diferentes tipos de pincéis para pele e olhos:




Cílios postiços
Para Maria de Fátima Melo Borges, os cílios postiços podem ser reaproveitados desde que seja pela mesma pessoa e após uma boa limpeza. “A dica é pegar um cotonete umedecido com demaquilante para retirar o rímel e a cola. Se a pessoa consegue tirar, pode usar novamente”, completa Ana Cláudia.

Protetor solar
O protetor solar que deve ser usado diariamente antes de a maquiagem ser aplicada também precisa de atenção. “Não é só o protetor, mas qualquer produto que tenha alguma propriedade antienvelhecimento para de funcionar fora do prazo de validade”, alerta Ana Cláudia. Nesse caso, vale a regra da aparência e da forma que o produto foi conservado e não apenas a informação do prazo de validade. “Se ficou debaixo de um ‘solão’ na praia ou foi exposto à variação de temperaturas, ainda que esteja dentro da validade, não está bom para usar”, esclarece a especialista. Segundo ela, algumas características podem ser observadas como cheiro, consistência e cor. Por exemplo, se o protetor é branco e começou a ficar amarelado é sinal de oxidação, motivo para suspeitar e hora de comprar outro. Para proteger a pele do sol, o produto deve ser aplicado na quantidade correta para exercer a proteção necessária.

Herpes labial e batom
A dermatologista Maria de Fátima Melo Borges explica que a herpes labial é uma doença contagiosa e transmissível. “Enquanto houver bolhas e feridas, qualquer cosmético deve ser evitado no local para evitar a contaminação”, esclarece.

Jair Amaral/EM/D.A Press
Depois de aberto, validade do batom varia entre 6 meses e um ano (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Ana Cláudia Soares Britto alerta que, caso a mulher passe o batom mesmo com a ferida, ela não deve emprestá-lo a ninguém. “O vírus não resiste muito tempo fora da célula hospedeira. Mesmo assim, o batom, em casos de mulheres que têm herpes, é de uso pessoal e exclusivo”, pontua.

Remoção da maquiagem
A maquiagem deve ser removida para não acumular na pele, nos cílios e nas glândulas sebáceas. “A limpeza faz parte da higiene diária”, observa Maria de Fátima. Mesmo dentro da validade, o produto em contato com a pele por muitas horas é fator de irritação e de obstrução de poros, o que pode desencadear acne. “Se a maquiagem é à prova d´água sugiro um demaquilante cremoso e, na sequência, água e sabonete ”, completa Ana Cláudia.

Padrão de validade
Não existe um prazo de validade padrão para cada produto. Segundo Ana Cláudia, no caso do batom e do gloss, varia de seis meses a um ano. Vencidos, podem ressecar os lábios e até provocar feridas. Para o rímel, a média é trocar a cada três meses. “Os produtos que vencem mais rápido são os que vão em áreas que estão mais sujeitas à contaminação como olhos e boca”, resume. E atenção: durante qualquer doença nos olhos não se recomenda usar maquiagem no local.

Veja dicas para valorizar os lábios:


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA