Nigéria confirma segundo caso de ebola; médico tratava paciente que morreu com o vírus

Nação africana é o quarto país a relatar casos da febre hemorrágica. Pelo menos 728 pessoas já morreram por causa da doença na Guiné, Serra Leoa e Libéria

por Agência Estado 04/08/2014 11:40

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Autoridades nigerianas confirmaram nesta segunda-feira um segundo caso de ebola no mais populoso país da África. Trata-se de uma notícia alarmante, na medida em que a região tenta combater a transmissão da doença, que já matou mais de 700 pessoas. O ministro da Saúde nigeriano Onyebuchi Chukwu disse também que aguarda o resultado de exames de outras três pessoas que apresentaram sintomas de ebola.

O segundo caso confirmado é o de um médico que ajudou a cuidar de Patrick Sawyer, o liberiano-americano que morreu em 25 de julho após chegar à Nigéria em meio ao maior surto da doença na África ocidental. "Outros três que participaram daquele tratamento e que apresentam sintomas tiveram amostras retiradas e, esperamos, até o final do dia deveremos ter resultados dos exames", disse Chukwu.

O surgimento de um segundo caso levanta sérias preocupações sobre as práticas de controle de infecção que foram usadas enquanto Sawyer estava na Nigéria e levanta o temor de que mais casos possam surgir. Os sintomas incluem febre, dor de garganta, dores musculares e dores de cabeça. Geralmente o infectado sente também náusea e tem diarreia, além de hemorragia.

Sawyer, que viajou para a Nigéria a negócios, começou a apresentar os sintomas no avião e as autoridades nigerianas imediatamente o colocaram em isolamento. Mas não colocaram os demais passageiros em quarentena e insistiram que o risco de novos casos era mínimo.

A Nigéria é o quarto país a relatar casos de ebola. Pelo menos 728 pessoas já morreram por causa da doença na Guiné, Serra Leoa e Libéria. Autoridades nigerianas disseram que um total de 70 pessoas estão sob observação e que esperavam colocar oito pessoas em quarentena até o final desta segunda-feira numa ala de isolamento em Lagos, a capital do país.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA