Estudo traz alerta sobre contraceptivos e câncer de mama

Médica que liderou a pesquisa ressalta que resultados precisam ser interpretados de forma cautelosa

por Correio Braziliense 02/08/2014 09:52

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Mulheres que recentemente tomaram pílulas anticoncepcionais contendo altas dosagens do hormônio estrogênio e algumas outras formulações têm risco aumentado de desenvolver câncer de mama, segundo um estudo publicado no Cancer Research, jornal da Associação Americana de Pesquisa do Câncer. “Nosso resultado sugere que contraceptivos orais usados nos últimos anos estão associados a um risco maior, comparado com nenhum uso ou outros tipos de anticoncepcional. Esse risco pode variar, dependendo da formulação do medicamento”, disse Elisabeth F. Beaber, cientista da Divisão de Saúde Pública do Centro de Pesquisa Oncológica Fred Hutchinson em Seattle, Washington.

SXC.hu/Banco de Imagens
Uso de anticoncepcionais orais modernos com estrogênio em alta dosagem aumentou o risco de câncer de mama em 50% (foto: SXC.hu/Banco de Imagens)
A médica, contudo, ressaltou que a pesquisa precisa ser confirmada e deve ser interpretada de forma cautelosa. “Câncer de mama é raro entre jovens mulheres e os muitos benefícios associados ao contraceptivo oral devem ser considerados. Além disso, estudos anteriores sugerem que o risco aumentado de câncer de mama associado aos contraceptivos declina depois que se para de tomá-los”, observa.

A pesquisa conduzida por Beaber avaliou o histórico de 1.102 mulheres diagnosticadas com esse tipo de tumor e 21.952 participantes do grupo de controle. A equipe de cientistas descobriu que o uso de anticoncepcionais orais modernos com estrogênio em alta dosagem aumentou o risco de câncer de mama em 50%, comparado com outras fórmulas ou com mulheres que jamais haviam tomado esses medicamentos. As pacientes oncológicas da pesquisa receberam o diagnóstico entre 1990 e 2009.

As pílulas contendo altas doses de estrogênio aumentaram esse risco 2,7 vezes e aquelas com dosagem moderada em 1,6 vez. Anticoncepcionais com diacetato de etinodiol aumentaram 2,6 vezes o risco, e comprimidos de combinação trifásica de uma média de 0,75 mg de noretindrona aumentaram 3,1 vezes. As pílulas anticoncepcionais que contêm estrógeno em baixa dose não influenciaram no surgimento de câncer de mama.

Diferentemente da maioria dos estudos anteriores, baseados em entrevistas com as mulheres, os pesquisadores usaram registros eletrônicos de farmácias para coletar informações detalhadas sobre o uso de contraceptivos orais, incluindo o nome do medicamento, a dosagem e a duração da medicação. No ano passado, anticoncepcionais orais de baixa, moderada ou alta dosagem de estrogênio foram comprados por 24%, 78% e menos de 1% das mulheres do grupo de controle, respectivamente.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA