Expectativa de vida aumenta na África do Sul, apesar do avanço da Aids

A expectativa de vida ao nascer aumentou no país para 61,2 anos em 2014 contra 52,2 anos dez anos atrás, segundo o estudo demográfico anual da organização Estatísticas da África do Sul

por AFP - Agence France-Presse 01/08/2014 08:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
A expectativa de vida dos sul-africanos está aumentando graças, sobretudo, à diminuição da mortalidade provocada pela Aids, embora a doença continue a avançar, informou nesta quinta-feira a agência pública de estatísticas. A expectativa de vida ao nascer aumentou no país para 61,2 anos em 2014 contra 52,2 anos dez anos atrás, segundo o estudo demográfico anual da organização Estatísticas da África do Sul (Stats SA), e passou para 63,1 anos para as mulheres e 59,1 anos para os homens.

Graças à generalização dos tratamentos com antirretrovirais (ARV), o número de óbitos continua a recuar no país e o percentual de mortos relacionados com a Aids passou de 50,8% em 2005 para 31,1% em 2014. Após ter se recusado por muito tempo a fornecer medicamentos, o governo sul-africano mobilizou o maior programa de distribuição de antirretrovirais do mundo, que atualmente beneficia 2,5 milhões de pessoas.

Apesar disso, a doença continua avançando. A taxa de prevalência do HIV é estimada em 10,2% da população, com 5,51 milhões de sul-africanos soropositivos (contra 4,3 milhões, ou 9,2% da população, dez anos atrás). Esta cifra está em ascensão, sobretudo entre pessoas entre os 15 e os 49 anos (16,8%) e, principalmente, nas mulheres desta faixa etária (18,5%), mas está em constante recuo nos últimos anos entre os mais jovens (8,7% das pessoas entre 15 e 24 anos em 2014).

O ministro da Saúde, Aaron Motsoaledi, é ainda mais pessimista: ele estimou, na semana passada, ao apresentar seu orçamento, que 6,4 milhões de pessoas são soropositivas no país. Em abril, o Conselho de Pesquisas em Ciências Humanas (HSRC) calculou que 12,2% dos sul-africanos eram soropositivos, dos quais 18,8% tinham entre 15 e 49 anos.

A Stats SA estimou a população sul-africana em 54 milhões de habitantes em meados de 2014, um milhão a mais com relação ao ano passado, sendo 80,2% de negros, 8,8% de mestiços, 8,4% de brancos e 2,5% de indianos. Trinta por cento da população sul-africana tem menos de 15 anos e 7,8%, mais de 60, destacou a agência.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA