Mulheres testam cremes antirrugas; apenas um melhorou os sinais da pele

Mais de 120 voluntárias entre 31 e 70 anos participaram da avaliação da Proteste Associação dos Consumidores. Além da avaliação das próprias mulheres, o resultado da ação antirrugas foi avaliado também em laboratório e o resultado foi regular

01/07/2014 14:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

São inúmeras as intervenções que podem melhorar o aspecto da pele, clareando manchas, reduzindo a oleosidade, fechando os poros, melhorando a flacidez e outros sinais de envelhecimento. Entre as mais simples, estão os cosméticos como grandes aliados para prolongar a juventude da face. No entanto, uma pesquisa da Proteste Associação dos Consumidores que avaliou quatro cremes importados questiona a eficácia dos produtos em relação ao que é proposto: reduzir as rugas.

Clarins, Clinique, Lancôme e Nívea foram testados por mais de 120 voluntárias entre 31 e 70 anos com quantidade semelhantes de sinais na pele, fumantes e não fumantes. As mulheres foram divididas em quatro grupos. Cada conjunto avaliou um produto.


Leia também:
L´Oréal é proibida de promover ações antievelhecimento de cremes nos EUA

Se, por um lado, todas as marcas testadas satisfizeram as voluntárias no quesito hidratação, por outro, as participantes não notaram melhora significativa nas linhas de expressão após o período de testes. O Nívea foi o mais bem avaliado no quesito hidratação.

Já em relação às rugas, apenas o Clarins apresentou uma leve melhora na aparência, na opinião das voluntárias que testaram o produto. Os testes em laboratório mostraram que os produtos têm eficácia 'razoável'.



Testes
As mais de 120 voluntárias usaram os produtos por cerca de um mês. Em laboratório, foram avaliados a ação antirrugas e o potencial hidratante dos quatro cremes. Para se chegar ao resultado, as participantes aplicaram os produtos duas vezes ao dia durante 28 dias. Ao final desse período, voltaram ao laboratório para serem “fotografadas” por um equipamento (Foits), que faz uma análise em 3D da pele, e assim verificar se houve melhora no aspecto das rugas. Com um aparelho chamado corneômetro, foi possível também medir o grau de hidratação da pele ao final do tratamento.

Reprodução Internet
Em laboratório, as marcas testadas receberam resultado razoável de ação antirrugas. Na opinião das voluntárias, o Clarins é o mais eficiente contra o envelhecimento e o Nívea o que mais hidrata a pele (foto: Reprodução Internet)


As voluntárias também deram opinião sobre os produtos, preenchendo um questionário com as impressões sobre suas características como textura, fragrância, absorção, hidratação, se deixam a pele grudenta ou gordurosa e se conseguiram perceber alguma melhora nas rugas.



A Proteste esclarece que cada pessoa possui características específicas e, por isso, a pele pode reagir de modo diferente aos cremes. Ou seja, o mesmo produto pode ter desempenho razoável para uma pessoa e não funcionar para outra. Por isso, a melhor forma de prevenir o envelhecimento precoce ainda é a prevenção. Veja dicas:

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA