Falta de sangue aumenta o drama da menina Renata

Equipe do MG Transplantes deslocou-se para Manhuaçu, na Zona da Mata, onde foi identificado um coração que poderia ser transplantado na adolescente

por Jefferson da Fonseca 04/06/2014 12:15

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Jair Amaral/EM/D.A Press
Renata e a mãe, Juliana, estão no Hospital das Clínicas, em Belo Horizonte, há 44 dias. Órgão captado pode ser última esperança de vida para a menina de 13 anos (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Na manhã de hoje, um doador compatível trouxe de volta as esperanças de vida nova para a estudante Renata Lara, de 13 anos, há mais de 40 dias no CTI pediátrico do Hospital das Clínicas (HC), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A menina, de Leandro Ferreira, na Região Central de Minas, em estado crítico de falência cardíaca, vem lutando bravamente pela vida à espera de um coração.

Pesadelo que parece não ter fim. Embora o Hemominas negue, há informações de que em função da greve dos servidores, não há sangue suficiente para o transplante tão esperado de Renata Lara. Menos ainda para qualquer outra urgência. O juizado da infância e juventude já foi acionado e está em andamento campanha emergencial de doação de sangue entre os que estão acompanhando o drama da menina.

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA