Caso Renata: coração frustra equipe médica

O corpo médico encarregado da retirada do órgão descartou a possibilidade de transplante para a menina de 13 anos que aguarda a cirurgia no Hospital das Clínicas, em Belo Horizonte

por Jefferson da Fonseca 04/06/2014 14:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jair Amaral / EM / DA Press
Renata sofre de falência cardíaca de último nível (foto: Jair Amaral / EM / DA Press)
A saúde do coração que seria doado à menina Renata Lara de Oliveira, de 13 anos, frustra a equipe médica que esteve em Manhuaçu, na Zona da Mata mineira, para buscá-lo. O corpo médico encarregado da retirada do órgão avaliou e, em função do quadro encontrado, em mãos, descartou a possibilidade de transplante.

Em Belo Horizonte, no Hospital das Clínicas (HC), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tudo já estava preparado para a cirurgia de urgência. A notícia foi recebida com tristeza por todos os que acompanham o drama da menina de Leandro Ferreira, na Região Central de Minas.

Renata sofre de falência cardíaca de último nível. A menina, na companhia da mãe, está há 44 dias no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) pediátrico e tem o estado de saúde agravado pela perda dos rins. Parentes e amigos da família estão em oração e não perdem as esperanças de ver Renata voltar para casa.

O dia foi de muita movimentação no HC. Não bastasse o drama da espera pela doação, com a expectativa do possível doador, houve ainda a informação de baixa no estoque de sangue do Hemominas, em função da greve dos servidores públicos – o que ameaçava, inclusive, o transplante.

Durante toda a manhã, houve campanha de doação de sangue, numa corrente do bem pelos casos de emergência. Não foi a primeira frustração no caso da menina Renata. No sábado, outro coração compatível havia reacendido as esperanças no HC. Por motivos religiosos, a doação não se concretizou.

Valente, Renata espera.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA