Hamsters são mascotes simpáticas que custam pouco, mas exigem higiene constante; saiba como criá-los

Esses ratinhos são animais de vida curta: três anos no máximo

por Revista do CB 24/05/2014 14:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cachorros e gatos são comuns em casa. Mas, que tal um hamster? Esse ratinho tem conquistado cada vez mais as pessoas. Trata-se de um pet simpático e que custa pouco. Há muitos acessórios para diverti-los, mas eles precisam mesmo é de carinho, comida, água e uma gaiola com rodinha. E é bom dizer logo: são animais de vida curta — três anos no máximo.

Na hora da compra, observe bem o aspecto da futura mascote. Verifique a qualidade do pelo, se ele é brilhante e macio, pois isso indica se o amiguinho está bem nutrido. Antes de levar para casa, reflita sobre o temperamento, se prefere um mais dócil. Lembre-se de perguntar ao vendedor sobre a idade e o sexo do hamster. É bastante difícil distinguir entre o macho e a fêmea.

Zuleika de Souza/CB/D.A Press
Jéssica e suas duas queridas, Agnes e Niniel: "Elas sempre fazem coisas engraçadas" (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
“Os machos possuem a distância entre o orifício genital e o orifício anal mais longa, e, em animais adultos, a bolsa escrotal é evidente”, ensina o veterinário Elber Costa. Hamsters acasalam com grande frequência. Portanto, fique atento: o cio da fêmea geralmente ocorre a cada quatro dias, a gestação é de 15 a 18 dias e a ninhada chega a 12 filhotes!

Na gaiola, além de água, alimento e uma rodinha para a mascote se exercitar, coloque serragem e um material para roer. A dentição do hamster cresce por toda a vida, então ele precisa desbastar os dentões com regularidade. Posicione a gaiola em lugar arejado e longe do sol. Os ratinhos são sensíveis ao calor e resistentes ao frio. Além disso, eles são noturnos e onívoros. A ração pode e deve ser variada, com verduras e frutas. Não dê pães, biscoitos e evite alimentos de origem animal.

Jéssica Ferreira, 20 anos, tem duas hamsters fêmeas, Agnes e Niniel. Elas são o xodó da estudante. Cada uma tem sua gaiolinha, para evitar brigas, já que esse tipo de animal é extremamente territorialista (se for um casal, não há esse problema). “Gosto muito delas. Não são tão afetivas quanto um cachorro ou um gato, mas estão ali fazendo coisas engraçadas sempre que estou desanimada. Elas me completam, não sei como seria a casa sem elas”, elogia.

Por sempre ter morado em apartamento, a servidora pública Andrianne Barbosa, 26 anos, preferiu não adotar cães. Contudo, sempre amou animais — cogitou, inclusive, estudar veterinária. Já teve periquito australiano, peixinhos e tartarugas. O primeiro contato com mamíferos só veio em 2008, quando uma amiga a presenteou com um hamster.

Adrianne chegou a criar três casais de hamster de uma só vez. E os três tiveram ninhadas mais ou menos ao mesmo tempo. “Houve momentos em que, contando adultos e filhotes, tinha mais de 30 hamsters em casa. Uma fêmea que foi a ‘mãe campeã’ gerou uma ninhada de 11 filhotes!”, conta a servidora. Atualmente, ela cria apena Bella, que tem quase 1ano de idade.

Muitas pessoas acreditam que hamsters são agressivos. Porém, essa característica só é demonstrada quando são rudemente manipulados ou estão muito assustados. Ainda assim, eles não mordem — só ameaçam. Uma última recomendação: leve-os ao veterinário pelo menos duas vezes ao ano. O principal exame é o dentário, para avaliar a saúde dos dentes incisivos. São bichos que não passam doenças para os humanos, desde que criados em cativeiro. O máximo que pode ocorrer é algum tipo de alergia ao entrar em contado com a pelagem deles.

Limpeza e higiene
Higienizar a gaiola desses animais é fundamental. Troque a serragem e lave a gaiola (com água e sabão) pelo menos duas vezes por semana. Do contrário, o odor pode ficar muito forte. A água (filtrada) deve ser trocada a cada dois dias.
Muito se discute sobre o banho do animal. Apesar de encontrarmos facilmente em muitos petshops substâncias em pó para higienização — os chamados banhos secos —, veterinários reprovam o uso desses sintéticos. Os bichos podem engolir o produto e passar mal. Confie na natureza: hamsters são “autolimpantes”, à semelhança dos felinos.

Considere as vantagens
Hamsters não fazem barulho
Adaptam-se a qualquer tipo de residência
Não necessitam de muita atenção
Ocupam pouco espaço
Têm manutenção relativamente barata
Não transmitem doenças
Não precisam tomar banho
São naturalmente domésticos

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA