OMS diz que a MERS não é uma emergência global

Desde 2012, a Síndrome Respiratória do Oriente Médio atingiu mais de 500 pessoas e matou 145

por Agência Estado 14/05/2014 13:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
A disseminação do misterioso vírus da Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS, na sigla em inglês) para diversas partes do mundo não é uma emergência de saúde global, apesar da recente elevação no número de caso, disse a Organização Mundial de Saúde (OMS). O anúncio foi feito após um encontro de um grupo de especialistas da OMS sobre o vírus.

"Chamar de uma emergência global em um mundo que tem várias questões urgentes acontecendo é um grande ato", disse o doutor Keiji Fukuda, diretor-geral assistente da OMS, a jornalistas nesta quarta-feira. "Você precisa ter informação realmente sólida para dizer que esta é uma emergência global". Fukuda disse que ainda não havia prova de transmissão sustentada do vírus entre as pessoas.

Desde 2012, a MERS adoeceu mais de 500 pessoas e matou 145, principalmente no Oriente Médio. A maioria dos casos foi encontrada na Arábia Saudita, embora a doença tenha se espalhado na região e para a Ásia, Norte da África, Europa e Estados Unidos. Muitas vezes, a MERS começa com sintomas de gripe, mas pode levar à pneumonia, problemas respiratórios e, em casos graves, insuficiência renal e morte.

Alguns cientistas afirmam que, apesar de a MERS atender tecnicamente os critérios para se configurar uma emergência de saúde global, definir o vírus dessa maneira pode confundir o público.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA