Morar perto de aeroporto aumenta circunferência abdominal, revela estudo

Este acúmulo de gordura se deveria ao aumento dos hormônios de estresse, principalmente o cortisol, produzido em maior quantidade quando o ruído ambiental é elevado

por AFP - Agence France-Presse 07/05/2014 09:43

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
istockphoto/EM/D.A Press
Gordura abdominal é um fator de risco, tanto para as doenças cardiovasculares quanto para o diabetes (foto: istockphoto/EM/D.A Press)
Morar perto de um aeroporto aumenta a circunferência da cintura devido ao estresse provocado pelo barulho, revelou um estudo realizado na Suécia e divulgado nesta terça-feira.

A pesquisa estabeleceu a relação entre a saúde de 5.000 moradores da região de Estocolmo, acompanhados entre oito e dez anos, e o nível sonoro em seus domicílios.

Seis cientistas do Instituto Karolinska, especializados em medicina ambiental, medicina molecular e endocrinologia, concluíram que à medida que aumenta o barulho dos aviões no dia-a-dia das pessoas, mais riscos elas corriam de ganhar barriga.

"Trata-se de um aumento correspondente a 1,5 centímetro por cada aumento de 5 decibéis no nível sonoro", explicou a cientista que coordenou a pesquisa, Charlotta Eriksson, em um comunicado de sua universidade.

Este acúmulo de gordura se deveria ao aumento dos hormônios de estresse, principalmente o cortisol, produzido em maior quantidade quando o ruído ambiental é elevado.

"A obesidade abdominal é um fator de risco, tanto para as doenças cardiovasculares quanto para o diabetes, e como uma parte importante da população está exposta diariamente a níveis sonoros altos produzidos pelos meios de transporte, o ruído, portanto, poderia ter efeitos para a saúde mais sérios do que pensávamos", acrescentou Eriksson.

O estudo, o primeiro a tentar estabelecer esta correlação, foi publicado na edição desta segunda-feira do periódico americano "Environmental Health Perspectives".

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA