Donos criam perfis para animais em redes sociais e sucesso no mundo virtual é absoluto

Todos os dias novas redes sociais são criadas exclusivamente para os animais e "encontrar o grande amor" figura entre os objetivos

por Revista do CB 05/05/2014 16:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
A internet também chegou aos animais. Bichos estão cada vez mais conectados na esfera virtual e acompanham o cotidiano dos donos. Além dos fins recreativos, as redes sociais são usadas para encontrar animais, divulgar campanhas e feiras de adoção, fazer denúncias e, claro, encontrar o “grande amor”. E não são só cães e gatos que estão conectados. Coelhos, tartarugas, hamsters e até mesmo peixinhos podem ter um perfil na internet.

Além das redes mais comuns, existem outras específicas para bichos. A 'Social Pet Book' abriga animais de várias espécies no site. Nela, os donos podem cadastrar o pet, que tem a própria página, com nome, idade, raça e fotos. “O animal pode divulgar fotos, comentários e trocar informações. Há a possibilidade de formar casais para cruzar”, afirma a equipe da Social Pet Book.

Quando o dono cria um perfil para o pet, ele assume o papel de coadjuvante e o animal passa a ser o protagonista da cena. Achados e perdidos, denúncias e dicas de como cuidar do bicho no dia a dia são os “serviços” mais oferecidos. Além dos tradicionais Facebook, Twitter e Instagram, todos os dias novas redes sociais são criadas exclusivamente para os animais.

Zuleika de Souza/CB/D.A Press
A cadela Pérola costuma exibir o 'look do dia' no Instagram (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
O Instagram, rede de compartilhamento de fotos, também é muito atrativo. Fotos de pets são postadas diariamente e fazem muito sucesso. O jornalista Leonardo Silva, 26 anos, adotou a cadela Pérola, por meio de uma feira de adoção na Zoonoses. A vira-lata de 1 ano é agitada e tem um perfil no Instagram (@perolasdeperola). Na rede, ela adora mostrar o cotidiano e o “look do dia”. “Eu brinco muito com ela, gosto de colocar várias roupas, coleiras e pijamas. A Pérola é uma figura, então acabei criando um Instagram para ela. Adoro postar fotos para as pessoas acompanharem o cotidiano da Pérola”, diz Leonardo.

Com uma coleção de roupas e coleiras, Pérola dá um show de estilo e alegria. Mas o dono já avisou que não vai procurar um parceiro para a vira-lata, pois vai castrá-la. Juntos, eles têm muitos projetos. Entre eles, criar uma campanha de incentivo à adoção no Facebook — que serviria de apoio a todos os animais em situação de abandono e divulgaria feiras que oferecem bichos em busca de um lar. A crescente popularidade dos bichos na internet já tornou, inclusive, muitos animais famosos no mundo virtual. Boo, por exemplo, é a maior celebridade da internet. O cachorro conta com mais de um milhão de seguidores.

O par ideal
A principal atividade dos animais na internet continua sendo a busca do par perfeito para cruzar. Donos de animais colocam exigências sobre como deve ser esse companheiro do melhor amigo. Raça, tamanho e idade estão entre as principais condições. Para quem pensa em entrar nesse processo seletivo, deve observar esses três pontos. O tamanho do pretendente precisa ser proporcional ao do animal à procura de um companheiro. Se isso não acontecer, o macho deve ser menor que a fêmea. “Se o macho for muito maior do que a fêmea, os filhotes serão grandes, e o momento do parto será trabalhoso para a fêmea, podendo aparecer a necessidade de uma cirurgia cesariana de emergência”, explica o médico-veterinário Rafael Souza.
A idade dos animais também é um fator importante na hora do cruzamento. Machos jovens, com menos de 1 ano de idade, tendem a não apresentar a quantidade de espermatozoides suficiente para engravidar a parceira. No caso da fêmea, quando muito novas (menos de 1 ano), podem não ter a habilidade materna, apresentar um comportamento infantil, deixando de prestar assistência aos filhotes.
Já quando idosos, há baixa contagem de espermatozoides e podem ter problemas na coluna ou no quadril durante o ato sexual. A fêmea idosa geralmente desenvolve problemas uterinos, tem baixa produção de leite materno e o chamado prolapso uterino — ou relaxamento pélvico, que é a queda ou o deslizamento do útero para fora do corpo. Se isso acontecer, uma parte do útero fica exposta para fora da vagina ou ao redor dela.

Conecte-se!
Conheça algumas redes sociais para interagir seu bicho no mundo virtual:

» Plug Pet
» Animal Club
» Social Pet Book
» Universe Pet
» Petbook
» Oi Pet
» Pet2Mate

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA