Manter a forma em pleno inverno exige disciplina e força de vontade

Algumas academias registram queda de 30% na frequência dos alunos. Professores apostam em novidades e atividades mais intensas

por Luciane Evans 03/05/2014 14:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jair Amaral / EM / DA Press
Na Academia Malhação, da unidade Cidade Jardim, por exemplo, segundo conta a professora de Zumba, Andreia de Oliveira Marques (e), a ideia é programar um aulão em maio para não deixar que os praticantes abandonem a prática (foto: Jair Amaral / EM / DA Press)
Mesmo faltando quase dois meses para o inverno, as academias já traçam suas armas para competir contra chocolates quentes, fondues, chás e a velha mania do brasileiro de ficar em casa nesta época do ano, deixando a atividade física em segundo plano. Como antídoto para essa guerra, educadores e gestores apostam nas atividades com maior queima calórica e, em alguns casos, em exercícios em que os alunos não fiquem tanto tempo dentro das academias, mas consigam, mesmo assim, bons resultados. A Copa do Mundo também entra como fator de alerta: ao mesmo tempo em que é um esporte e serve de incentivo, é um entretenimento que pode atrapalhar quem estava em dia com os treinos.

O Mundial é um fator relevante para o supervisor acadêmico da Alta Energia, Fernando Estevão Gualberto. Segundo ele, por causa do evento no Brasil, muitos alunos não vão viajar entre junho e julho, o que significa uma boa notícia para os educadores físicos. Em contrapartida, ele destaca as baixas temperaturas. “No inverno, a tendência de todos é se aliar à preguiça. Em algumas de nossas unidades, a frequência nesse período cai 30%. Tentamos investir na consciência do aluno de que estar com o corpo em forma é um projeto a longo prazo”, comenta. Fernando avisa que de nada adianta as pessoas abandonarem o ritmo das atividades e, no fim do ano, correr contra o tempo em busca de um bom visual para o verão.

“Para que isso não ocorra, além de divulgar a filosofia de que é preciso malhar o ano todo, apostamos em atividades com uma queima calórica maior”, revela. Ele diz que a Alta Energia muda o quadro de horários das aulas, investe em eventos e competições, tudo para que os alunos não joguem para o alto o que vêm conquistando em todos os outros meses.

DANÇA
Nem mesmo as danças vão cair com as baixas temperaturas e muitas estratégias estão sendo feitas para manter os alunos no ritmo. Na Academia Malhação, da unidade Cidade Jardim, por exemplo, segundo conta a professora de Zumba, Andreia de Oliveira Marques, a ideia é programar um aulão em maio para não deixar que os praticantes abandonem a atividade.

Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press e JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS
À esq.: Luzana Rodrigues, da Cia Atlética, aposta na modalidade Hit para segurar os alunos; na Alta Energia, a aposta para a temporada são as atividades com maior gasto calórico (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press e JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Ela conta que as aulas começaram na academia em dezembro e, por causa do sucesso, não vai sair no inverno. “É algo que esquenta o corpo, é animado, pode queimar até mil calorias por aula e faz bem para a mente, além de possibilitar novas amizades”, defendem, dizendo que se aprende ali os ritmos de merengue, salsa. “São alegres e levantam o espírito”, afirma, acrescentando que outra estratégia para não deixar a preguiça ocupar espaço é, talvez, a mudança nos horários das aulas.

METAS
Para arrancar os alunos da cama e acabar de vez com a preguiça, o educador físico da Academia BodyTech, Renato Lúcio da Silva, aposta em metas. Reconhecendo que o frio é um período difícil, ele diz tentar motivar os alunos estabelecendo objetivos. “É bom a pessoa ter uma meta, pois ela vai se sentir na obrigação de treinar e ir atrás dos resultados”, explica. O segundo plano, de acordo com Renato, está na alimentação. Ele lembra que, no frio, as pessoas tendem a comer menos saladas e mais comida pesada. “A procura é por alimentos mais quentes, mas aconselho os alunos a permanecer na dieta e manter as refeições saudáveis”, diz.

Hora de modernizar
EULER JÚNIOR/EM/D.A PRESS
A professora Aline Padovani, da BodyTech: aulas de zumba fazem sucesso (foto: EULER JÚNIOR/EM/D.A PRESS)
É entre o outono e o inverno que as academias se preparam para modernizar e deixar os estabelecimentos prontos para o verão, já que é nessa estação que a procura pela atividade física é maior. Segundo Valdelino Xavier, dono da Sport e Cia., loja especializada em equipamentos para ginástica e musculação, é no inverno que as vendas de equipamento crescem. "Os estabelecimentos querem, cada vez mais, produtos modernos para oferecerem aos clientes", diz.

Uma das apostas de Valdelino para este ano são os elípticos que, de acordo com ele, estão mais modernos e com tecnologia de ponta. O exercício aeróbico feito no elíptico ajuda a emagrecer, ficar com o corpo em forma, ganhar resistência e disposição. Mas é preciso acompanhamento de um profissional para usá-lo de forma correta.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA