Torcedores que forem ao Brasil devem verificar vacinas, diz OMS

A partir do fim da circulação endêmica do sarampo, por exemplo, o continente começou a registrar casos importados de outros países

por Agência Brasil 24/04/2014 10:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press
Dos 32 países cujas seleções participam do Mundial de 2014, 19 notificaram casos de sarampo em 2013 (foto: Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press)
A Organização Mundial da Saúde (OMS) apelou nesta quinta-feira (24) aos torcedores que viajarem ao Brasil para o Mundial de Futebol que comprovem se têm as vacinas em dia para evitar doenças infecciosas. A mensagem da OMS é divulgada por ocasião da Semana Anual da Vacinação nas Américas, que começa hoje e vai até o dia 30 e cuja mensagem faz alusão ao futebol: "Vacinação. A tua melhor jogada!".

"Elegemos esse tema como uma chamada à ação para destacar a importância de estar protegido contra as doenças evitáveis mediante vacinação, em particular o sarampo e a rubéola, durante a próxima edição do Mundial de Futebol", explicou a assessora regional do Programa de Imunização da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Alba María Ropero.

O Mundial, que ocorre em 12 cidades brasileiras entre 12 de junho e 13 de julho, é um "caldo de cultivo" propício para que surjam doenças que, de fato, já não são endêmicas na região há anos. A transmissão endêmica do sarampo nas Américas foi interrompida em 2002 e a da rubéola em 2009. "No entanto, o sarampo continua a circular em nível mundial e em países como o Brasil, o Canadá, o Equador e os Estados Unidos foram notificados casos vinculados a importações", lembrou Ropero.

A partir do fim da circulação endêmica do sarampo, em novembro de 2002, o continente começou a registrar casos importados de outros países e até 2012 notificou 2.771.

A maioria deles (1.369) ocorreu em 2011, quando foram registrados 171 surtos a partir de importações, que geraram uma transmissão sustentada em pelo menos três países (Canadá, Equador e Brasil).

"A Semana da Vacinação é uma oportunidade de preparação para enfrentar esse desafio e proteger os progressos da região, incluindo os esforços para intensificar as atividades de vacinação orientadas para os viajantes e outros grupos de alto risco, como os trabalhadores da saúde, do turismo, jornalistas", exemplificou Ropero.

A precaução justifica-se, já que dos 32 países cujas seleções participam do Mundial de 2014, 19 notificaram casos de sarampo em 2013.

Além disso, há precedentes que lembram a necessidade de vacinação. Eventos desportivos, como os Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver (Canadá) em 2010 ou o Mundial de Futebol na África do Sul, no mesmo ano, ficaram associados a grandes números de casos de sarampo no Canadá, na Argentina e no Brasil", disse a especialista.

Em nível global, o tema da Semana Mundial da Vacinação é "Imunização para um futuro saudável. Saber, verificar, proteger", e a OMS pretende apelar às pessoas para que saibam mais sobre quais as vacinas necessárias, verifiquem se a imunização está atualizada e procurem os serviços de vacinação para proteger toda a família.

Nessa quarta-feira (23), a organização alertou que mais de 22 milhões de crianças no mundo, cerca de uma em cada cinco, estão sem receber vacinas contra doenças básicas.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA